BGS 2019 – A experiência dos 5 dias da maior feira de jogos da América Latina

Olá leitores do Animystic, eu sou o Guárana, e hoje irei falar para vocês um pouco sobre a minha experiência em representar o site como imprensa na Brasil Game Show 2019. Nesse texto, eu irei tentar passar a minha quanto aos 5 dias em que a maior feira de jogos da América Latina esteve presente no Expo Center Norte em São Paulo.

Transporte

Digamos que eu não seja a pessoa mais inteligente quando se trata de usar transporte público. Belém não é uma cidade tão grande assim e eu nunca morei longe da escola/faculdade, então eu sou bem leigo quando se trata de pegar transporte público. E se em Belém eu já não sei me localizar quanto a transporte, imagina em uma das maiores metrópoles do mundo? Por sorte o Raul, membro do podcast do Animystic e parceiro lá do NSV – Mundo Geek me auxiliou bastante dizendo o que eu tinha que fazer. O Expo Center Norte fica na região onde não há uma estação de metrô tão próxima (na minha opinião, o metrô é o transporte público mais fácil de se utilizar na cidade) então a maioria das pessoas teriam que ir até a estação Tiête-Portuguesa, para aí sim poder pegar o ônibus gratuito até o local do evento. O ônibus era bem confortável e a todo momento eles iam e viam de forma bem rápida, então você não esperava muito na fila, esse com certeza foi um ponto bem positivo da experiência.

Outra coisa importante quanto ao transporte, foi a parceria que a organização fez com uma companhia de linhas aéreas que garantia descontos em passagens para as pessoas que fossem participar do evento. Graças a essa parceria, a minha passagem acabou sendo mais em conta e eu pude comparecer ao evento com bem mais calma e sem me preocupar em gastar muito dinheiro.

Stands

A última Brasil Game Show que eu havia ido tinha sido na de 2016, e o que mais me impressionou na edição de 2019 é como as empresas estão evoluindo no nível dos seus stands. A maior lembrança que eu tinha daquele ano é que a maioria das interações nos stands eram relacionada aos jogos que ainda iriam ser lançados. Então a pessoa iria até o stand, jogava o jogo e assim continuava seguindo seu caminho. Em 2019, eu pude perceber que as empresas estavam tentando se relacionar mais com o público através de entrega de brindes, promoções em produtos, brincadeiras e muito mais. Através desse tipo de coisa, você consegue meio que prender o público no seu stand e fideliza-los por uma boa parte do evento. Quem deu show nesse quesito foi a Microsoft/Xbox que além de trazer vários de seus novos lançamentos, também trouxe diferentes brincadeiras e brindes pro público, além de campeonatos diários no seu stand.

Xbox Brasil ©

Enquanto que por um lado a Microsoft deu um show de interação com o público, a Sony parecia fazer o possível para que as pessoas não jogassem os seus mais novos lançamentos no stand da Playstation. Eu diria que é vergonhoso pra uma empresa tão grande só colocar 4 televisões para poder jogar Final Fantasy VII, que é disparado um dos lançamentos mais aguardados do Playstation 4. Tudo fica ainda mais vergonhoso quando você descobre que só poderia jogar o jogo se reservasse no aplicativo da Sony, o problema é que a demanda era muito alta e o número de vagas não chegavam nem a 80 por dia! Basicamente: Você só poderia jogar os lançamentos da empresa se desse a sorte de conseguir reservar uma vaga. No final do dia, não importava se você fosse no dia mais lotado ou no mais vazio, você ainda teria a mesma chance baixa de poder jogar.

 

Mas a empresa que eu mais estava ansioso para ver na feira era a Nintendo. Desde 2013, a empresa não está mais em atuação no Brasil, então uma participação na maior feira de games da América Latina poderia ser um grande passo ou até mesmo um indicador de uma possível volta da Big N em terras tupiniquins. As pessoas que visitaram o stand puderam jogar um pouco de Luigi’s Mansion 3, que tem lançamento marcado para o dia 31 de Outubro de 2019. Além disso, os  jogadores também tiveram a oportunidade de jogar outros dos mais famosos jogos para Switch como o recém lançado Link’s Awakening ou o famoso jogo de luta Super Smash Bros Ultimate. A participação da empresa não foi ruim, mas o que amargou um pouco foi a pouca participação de Pokémon Sword and Shield que na minha opinião é o maior lançamento da empresa nesse ano. A única coisa do jogo que se tinha presente era a oportunidade levar para uma casa uma foto sua em 4 diferentes fundos de Galar (Eu, inclusive tirei duas! mas não vou postar por vergonha haha).

Além desses já citados acima, os stands da Facebook Gaming, HyperX, Epic Games/Fortnite e Acer também estavam incríveis. Pelo lado do Facebook, eu real acredito que a empresa está numa boa crescente, e quem sabe daqui há alguns anos não consiga bater de frente com a Twitch, que para mim, teve um stand bem fraco esse ano. A HyperX trouxe um caminhão gigante para a feira em parceria com o time de E-Sports Red Canids que irá fazer seletivas pelo país em busca de novos talentos. Fortnite não é lá muito minha praia, mas o stand da Epic Games foi sem dúvidas um dos melhores,  acho que era que o tinha o maior número de atrações e  boa parte do tempo estava quase sempre lotado.

Avenida Indie

Uma das partes que mais me surpreendeu foi a dos jogos indie. Eu admito que não sou uma pessoa que entende tanto do mercado de jogos, então eu sei bem pouco do atual estado das desenvolvedoras brasileiras. Dos jogos presentes o que mais me interessou foi o Gravity Heroes dos estúdios Studica Solution e Eletric Monkeys. O jogo é bastante criativo, os controles são meio complicados no começo, mas quando você começa a pegar eles, a experiência é bastante divertida. O uso da gravidade faz com que você possa executar várias ações diferentes e deixa o jogo bem mais criativo e dinâmico. No final da experiência, eu ainda ganhei um adesivo do personagem que eu utilizei.

O jogo 171, que é uma versão brasileira bem semelhante aos jogos da série GTA, foi um dos jogos mais badalados durante o evento. Apesar da demo ser bem curta (uns 5 minutos) deu pra ter uma noção de que os controles dos jogos estão muito bem feitos, e a ambientação é bastante impressionante, você consegue realmente se sentir dentro de uma cidade brasileira. Com o pouco que eu pude observar, ficou bem claro que o jogo tem bastante potencial. Fica aqui meus parabéns pro pessoal do Betagames Group.

Organização

Eu não tive quase nenhum problema com a organização do evento, durante os 5 dias eu fui muito bem atendido por todos os funcionários e a conexão de internet da sala de imprensa me salvou bastante, porque só de lá que eu conseguia fazer a maioria das postagens. Eu soube que algumas poucas pessoas tiveram problemas com suas identificações, mas isso era resolvido quase sempre de imediato. Talvez a única coisa a se relatar foi que os portões para a imprensa demoraram 1 hora a mais para serem abertos no domingo, mas sendo sincero, isso não fez quase nenhuma diferença. No geral, fiquei muito feliz que a BGS trata muito bem as pessoas que vão cobrir o evento.

Outra coisa que me deixou bastante feliz foi ver que pessoas com transtornos mentais usavam identificação diferente. Isso é importante até mesmo para os funcionários dos stands, já que o tratamento com esse tipo de pessoa tem que ser feito com uma atenção bem maior. Coisas assim facilitam o trabalho tanto dos funcionários do evento quanto para o público. Além disso, eu pude conversar com alguns deficientes físicos e vi que eles ficaram bastante felizes em ver que uma boa parte dos stands tinham acesso facilitado para eles, inclusão e acessibilidade é algo muito importante para qualquer evento, e eu praticamente não tenho críticas à BGS quanto a este assunto.

Conclusão

A BGS 2019 foi uma experiência fantástica para mim. Alguns podem até achar estranho um site como o Animystic que tem o foco em animação comparecer em uma feira de jogos, mas lembrem-se que a animação e os videogames são duas mídias que andam lado a lado a bastante tempo, então essa acabou sendo uma experiência valiosa de aprendizado para mim que ainda tive a oportunidade de conversar até sobre animação com vários desenvolvedores que com o passar dos anos foram migrando da animação para os jogos. Também fiquei feliz de conhecer várias pessoas novas tanto do meio otaku quanto do meio dos jogos. A organização do evento me deixou bem satisfeito, apesar de algumas polêmicas e umas poucas reclamações, tenho certeza que pra maioria do público a experiência foi bem positiva. Eu queria agradecer principalmente ao Henry/Vulpixs (CEO & Fundador do Animystic) que me deu a oportunidade de ir pelo site, e para o Raul (NSV – Mundo Geek / Papo Nerd com Elas) que me auxiliou bastante durante o período que estive na cidade.

 

Até mais, e espero estar de novo no ano que vem, Abraços.

Pedro Guarani

Tenho 21 anos de idade, sou apaixonado pela parte técnica da animação japonesa. Escrevo sobre animação, enquanto tento engolir o fato de que meu melhor amigo me trocou pela namorada.

Posts Relacionados