Edens Zero — O poder da amizade, novamente

Olá novamente, Ghuttyerrys aqui. O recém-chegado mangá, trazido pela JBC no formato digital, e agora impresso, este Fairy Tail do espaço será o título que irei abordar nesta semana.

 

Uma breve análise  

 Para você, conhecedor de obras shounens e suas incríveis capacidades de criar motivações integradas aos personagens, que mais serve para alegrar as inseguranças sociais e psicológicas do leitor, irá ficar contente com esta obra.  

 Certamente é rotineiro um personagem ou outro que conhecemos dentre tantos ter usado a frase, ou até mesmo algo similar, “O poder da amizade”. É isto que estava estampado em cada segundo que meus olhos deslizavam pelas páginas, sem falar da tentativa forçada de aproximação do “público do submundo de youtubers”, um dos primeiros diálogos já nos mostra Rebecca, falando que seu desejo é alcançar 1 milhão de inscritos, junto a todo um background de criança sonhadora que assiste coisas como Luccas Neto. 

 Em meio aos acontecimentos e típica batalha inicial, o nosso herói, Shiki surge com uma força tremenda e enfrenta o vilão que para uma máquina consciente, deve ter um QI muito baixo, os considerando pensantes, e tendo toda uma ilha, com matérias primas e até mesmo construções humanas, não conseguirem ter feito uma barco? 

Mas, só melhora. Como de costume neste tipo de obra, ambos os personagens que se enfrentam param, para explicar suas ideologias e propósitos de vida. A clássica e clichê cena do mocinho contra o malfeitor dos cinemas. E no meio disso tudo, Shiki nos apresenta seus desejos mais profundos, quase tão profundo quanto uma piscina de criança, uma verdadeira chuva de lágrimas e emocionantes reviravoltas já previstas

Bom, a ideia principal eu creio que fosse nos apresentar um novo universo, uma expansão de Fairy tail, afinal, os personagens são praticamente iguais, com detalhes mínimos de diferença, e os nomes, claro. Geralmente o shounen é atribuído a consumidores de 12 a 18 anos, diga-me qual jovem nesta idade não tem noção alguma de realidade?   

©Edens Zero

Você pode até mesmo comentar que, mangás e animes devem nos motivar e sonhar. Um lugar que deve trazer alegria e emoções. Certo, mas por qual razão somente pelo poder da amizade? Existem tantas motivações e premissas que podemos relacionar para tentar explicar e criar um personagem mais profundo.  

Posso até mesmo citar Edward Elric, ele teve sim relacionamentos no grau de amizade, companheirismo que o levou a melhorar como pessoa, mas este não foi o ponto inicial, nem mesmo o que o levou a ser. Sua trajetória inicia pela ausência repentina de sua mãe, falta, saudade. E, isto tomou conta de suas motivações para realizar os atos que começam a desenrolar em seguida, se você conhece a história. 

Logo, sempre me pergunto o motivo desta tecla ficar se repetindo, torna tão superficial, tão mais do mesmo. Assim que batemos os olhos em um personagem que tenha tais traços, podemos rapidamente identificar no mínimo uma dezena de outros iguais.  

Contudo, eu tenho certeza que o motivo é até mesmo simples, a mentalidade e a aceitação por endeusar ou padronizar personagens, tenham criado um público digamos que não cego, mas, conformado. 

 

Posts Relacionados