Hataraku Maou-sama — A forma divertida de se trabalhar em um Fast food

Hataraku Maou-sama

Olá pessoal! eu sou Bruna Tais e vou falar de um anime que te leva a descobrir que trabalhar em um fast food pode não ser a coisa mais chata do mundo, portanto acompanhe comigo essa incrível história de aventura com personagens hilários.
Anime lançado na temporada de primavera de 2013, com 13 episódios, foi produzido pelo estúdio White Fox, responsável por duas obras conhecidas (Steins;Gate, Re:zero), trazendo a adaptação tirada de uma light novel chamada Hataraku Maou-Sama.
Já pensaram que os animes em algum sentindo se assemelham muito com o nosso cotidiano? Pois bem, nos animes temos muitos clichês que trazem o super herói ou o mocinho para salvar as pessoas de vilões poderosos, através de magias e superpoderes. Agora foca comigo e esquece a parte de todos os crimes existentes. Pense no motivo que te faz enfrentar trânsito todos os dias para conseguir chegar ao trabalho! Pensou? Obviamente a maioria não faz isso por prazer e sim por um único propósito, no qual seria pagar a conta de luz, água, aluguel, faturas e entre outras coisas que nos fazem de “vitimas” do cotidiano. Este anime propõe exatamente a realidade em que vivemos “refém de diversas contas e faturas para pagar”, e o queridinho vilão irá mostrar como é difícil ser o chefe de casa e arcar com as despesas do mesmo em um mundo totalmente desconhecido para ele.

Colocando medo nos corações dos mortais, o rei demônio começa a conquistar a terra de Ente Isla com seus vastos exércitos demoníacos. No entanto, enquanto embarca nessa busca brutal de dominar o continente, seus esforços são frustrados pela heroína Emília, forçando o rei demônio a fazer sua retirada rápida através de um portal dimensional apenas para aterrissar no mundo humano. Junto com seu leal general e companheiro Alsiel, o demônio se vê preso em Tóquio moderno prometendo retornar e completar sua subjugação à Ente Isla — isto é, se eles puderem encontrar um caminho de volta! — Impotente e perdido em um mundo sem magia, o rei demônio assume o disfarce de um humano chamado Sadao Maou e começa a trabalhar no Mg Ronald’s, um restaurante local de fast food, para que possa sobreviver.

Ele logo percebe que seu objetivo de conquistar Ente Isla não é suficiente e muito menos almejado como era antes. À medida que cresce de cargo em seu novo trabalho, Maou fica determinado a subir a escada corporativa e se tornar o governante da Terra. Um cliente satisfeito de cada vez é a sua mais nova meta e ao longo do tempo vão surgindo mais e mais metas a ser alcançada. Trabalhando em meio período, tarefas domésticas e simplesmente tentando pagar o aluguel, ele percebe que os habitantes desse mundo são frágeis e sem muita ambição, com muita confusão os papéis são trocados, o rei demônio que era vilão acaba virando o herói do novo mundo, se envolvendo em muitas encrencas e aventuras loucas e um quase romance que se divide entre sua colega do seu atual trabalho, sua inimiga ou melhor, antiga inimiga que agora juntos lutam contra ameaças do seu antigo mundo.

 

 Hataraku Maou-sama! apresenta uma visão hilária dos aspectos mais mundanos da vida cotidiana, tudo através dos olhos de um infeliz lorde demônio.

Com um ótimo gênero no qual a maioria gosta que é o slice of life, mantém formidavelmente as cenas de adaptação da nova vida do protagonista junto de batalhas com alívio cômico inserida dentro e fora dessas cenas sem deixar o anime cansativo de se ver, tornando-o mais interessante para quem está assistindo essa obra.
O Enredo mostra ótimo desenvolvimento, juntando o útil ao agradável no mesmo momento em que consegue explicar um pouco da história de Ente Isla e da realidade alternativa que o protagonista se encontra vivendo na cidade de Tóquio, com um clima harmonioso de ambos os mundos ao essa junção e adaptação dos personagens para a vida nova. Porém, temos algumas poucas pontas soltas que não explica direito o porquê do reino de defesa de Ente Isla se virar contra o Japão e começar atacar a cidade.
 Na fotografia não temos algo tão extraordinário, mas sim um bom resultado nas separação das cores em cenas de alívios cômicos e cores pesadas nas cenas de batalhas, tornando os cenários agradável, pois conseguem mostrar visivelmente que a equipe que adaptou sabe o que está fazendo. Junto do cenário temos a trilha sonora do anime que gradativamente combina com cada ponto de cores citados.

Abertura de Hataraku mostra o cômico cotidiano dos personagens, junto com as obrigações e outras dificuldades que precisam enfrentar e superar, o quesito deixa a abertura satisfatória com o anime.

Sua abertura tem uma canção agradável com o titulo “ZERO!!” tocada pela cantora Minami Kuribayashi. Sua ending é composta por quatro músicas diferentes, sendo elas:
1: “Gekka (月花)” by nano.RIPE (eps 1, 3-4, 6-12)
2: “ZERO!!” by Minami Kuribayashi (ep 2)
3: “Star Chart (スターチャート)” by nano.RIPE (ep 5)
4: “Tsumabiku Hitori (ツマビクヒトリ)” by nano.RIPE (ep 13)
Os personagens tem excelentes evoluções. O protagonista tenta ser sério, mas com seus companheiros acaba sendo algo difícil, que o torna carismático, engraçado e amável, junto da heroína Emília  (a relação de ambos  é de amor, mas Emília mostra uma pequena parte tsude) que está sempre espionando Sadao para cumprir seu dever de derrota-lo e voltar para seu mundo. Ainda temos o rival do protagonista “Lúcifer” vindo também para o Japão causando muitos problemas durante o anime, no qual o torna o melhor personagem com suas trapalhadas e irresponsabilidades. Temos mais personagens, mas isso fica por sua conta em procurar o anime para conhecê-lo.
Então eu vou encerrando por aqui espero que tenham gostado da minha review. Vejo vocês na próxima! Até mais pessoas lindas!

Posts Relacionados