Indicação de Mangá: Beastars – O mundo dividido entre duas espécies

Indicação de Mangá: Beastars – O mundo dividido entre duas espécies

Beastars

Gênero: Drama, Slice of Life e Psicológico
Editora: Panini Comics (Brasil) – Akita Shoten (Japão)
Autor: Paku Itagaki
Periodicidade: Bimestral
Preço: R$ 26,90

Sinopse:

Beastars se passa em um mundo onde animais antropomórficos, herbívoros e carnívoros convivem uns com os outros. O protagonista da história é Legosi, um lobo que faz parte do clube de drama do colégio Cherryton. Apesar da sua aparência ameaçadora, ele é dono de um coração gentil, e com o passar do tempo acabou se acostumando com o fato de outros animais lhe temerem. Certo dia, ele começa a se envolver mais com seus colegas de classe mais próximos e vê sua vida dentro do colégio mudar aos poucos.

Introdução

Beastars era um mangá que já vinha me chamando atenção a bastante tempo. A obra e a autora da obra ganharam vários prêmios importantes da indústria, o que acabou aumentando bastante a popularidade e a relevância do mangá. Outro fator que contribuiu muito para o crescimento da obra é o investimento que a própria editora japonesa fez nela, já que a Weekly Shonen Champion não é lá uma revista com mangás tão populares. Todos esses fatores acabaram culminando em um anúncio de anime para a obra que será produzida pelo Studio Orange (Houseki no Kuni). Mesmo sendo em CG, a obra deve vir com uma qualidade acima da média visto que o Orange fez trabalhos impressionantes no passado. E sejamos bem sinceros, é quase impossível trazer um mangá como Beastars para 2D. Trabalhar com animais na animação tradicional é algo extremamente trabalhoso e difícil, com os complicados cronogramas japoneses isso é realmente impossível.

Breve opinião sobre o começo da obra

Sempre que eu começo um novo mangá, eu olho com bastante atenção para os dois primeiros capítulos da obra. Geralmente, os dois primeiros capítulos de uma obra vem com uma grande quantidade de páginas extras. E no atual estado do mundo editorial, onde obras vem sendo canceladas cada vez mais cedo, você conseguir a atenção dos leitores logo no começo é algo de grande importância. Beastars começa muito bem, a cena do assassinato de Tem já é suficiente para colocar uma dúvida na cabeça do leitor. O animal que matou Tem parece ter uma silhueta semelhante a um lobo, e como a sinopse da obra já diz, o protagonista Legosi é um lobo. Todos esses pontos já são suficientes para possivelmente apontar ele como culpado pelo crime.

A personalidade que Legosi demonstra ter durante esse primeiro capítulo faz a maioria dos leitores pensar que ele realmente é o assassino de Tem. Primeiro, temos a cena dele mexendo no armário do falecido companheiro de clube, logo depois vemos ele abordando de forma, um tanto quanto ameaçadora, um outro herbívoro. E para concluir, ainda tem aquele macabro encontro a noite em que ele usa o refletor e se aproxima lentamente de uma herbívora do clube. Todos esses pontos já são suficiente para incriminá-lo, mas no final, a autora usou a velha quebra de expectativa para mostrar que na verdade ele é um lobo gentil e bem amável. Eu não sou tão fã dessa estratégia de quebra de expectativa, já que é algo bem comum. No caso de Beastars, eu acho que foi uma das únicas escolhas possíveis para manter o interesse do leitor e ao mesmo tempo mostrar a real personalidade do protagonista da obra.

Pontos de destaque do primeiro volume

Há autores que não sabem muito bem como desenvolver sua própria história. Eu acho interessante como a autora mostrou logo nas primeiras páginas um assassinato, e ao invés de desenvolver esse acontecimento, preferiu deixar ele de lado pelo resto do volume e começou a desenvolver os personagens, a ambientação e outros elementos da história. Com isso, ela consegue desenvolver seus personagens e ainda implanta a dúvida no leitor. Em algumas histórias nós já vimos autores que não souberam dosar bem o desenvolvimento da história com o dos personagens, causando assim uma grande bagunça, felizmente isso não aconteceu em Beastars.

O preconceito também é outro ponto que vale destacar na obra. Durante todo o primeiro volume nós vemos que a relação entre herbívoros e carnívoros é um tanto quanto conturbada. Apesar de terem leis sobre carnívoros não poderem comer os herbívoros, você sente que há uma insegurança. O assassinato de Tem deixou a escola com um clima ainda mais pesado, e todo esse preconceito deixa bem implícito que um conflito pode explodir a qualquer momento, e isso consegue deixar uma sensação de ansiedade e atrair o leitor para a continuidade da obra.

E se tratando de animais, era óbvio que eles não poderiam deixar o instinto de lado. Legosi acaba sendo levado pelo seu instinto em certo momento, isso prova que até mesmo os carnívoros mais calmos podem ser levados pelos seus instintos. Durante os primeiros capítulos, fica bem claro que o instinto dos carnívoros faz com que eles tenham uma personalidade bem mais explosiva, enquanto que os herbívoros parecem ser mais calmos, frios e calculistas.

Conclusão

Beastars é uma obra que conseguiu me agradar bastante logo no primeiro volume. A história é muito bem organizada e autora faz o possível para que a história não se perca logo no começo, dosando muito bem o desenvolvimento da história e dos personagens. Então, mesmo com uma enxurrada de informações nesses primeiros capítulos, você termina o primeiro volume tendo uma boa ideia do que você está lendo, entendendo tanto a ambientação da história quanto os personagens que estão nela.

Nota para o volume: 4/5
  • Você pode encontrar os volumes de Beastars na loja Anime Hunter, Em São PauloBairro da LiberdadeLocal Mapeado
  • Para os fãs do Animystic, infelizmente o marca páginas está esgotado no momento. Lembrando que se disser que veio pela gente, vocês ganham um desconto de 15% no valor total da compra (5% no cartão). Eae, vai perder?!!!

Pedro Guarani

Tenho 21 anos de idade, sou apaixonado pela parte técnica da animação japonesa. Escrevo sobre animação, enquanto tento engolir o fato de que meu melhor amigo me trocou pela namorada.

Posts Relacionados