Indicação De Mangá: Fire Punch – O mundo enterrado em gelo

Indicação De Mangá: Fire Punch – O mundo enterrado em gelo

Fire Punch

Gênero: Ação, mistério e sobrenatural
Editora: JBC (Brasil) – Shueisha (Japão)
Autor: Tatsuki Fujimoto
Periodicidade: Bimestral
Preço: R$ 12,90 (Ebook) – R$ 25,90 (Edição física)

Sinopse:

Em um passado não tão distante, uma bruxa de gelo colocou o mundo em uma era onde havia apenas neve, fome e loucura. Com isso, todos os habitantes do planeta começaram a ligar a salvação através do fogo. A história acompanha Agni e Luna, dois jovens abençoados com a habilidade de regeneração. Mas será que essa habilidade é uma benção ou uma maldição?

Introdução

Tatsuki Fujimoto já era um autor que havia chamado bastante a minha atenção e a do público nos últimos tempos. Atualmente, o autor está trabalhando na obra Chainsaw Man, publicada na revista Weekly Shonen Jump, e vem conseguindo atrair uma boa atenção e bastante elogios das pessoas. Mesmo que a obra ainda não venda muito, é bem capaz de que ela não seja cancelada.

Quanto a Fire Punch, fica bem claro que  autor é alguém que não tem vergonha nenhuma de demonstrar a violência em sua obra. Logo nas primeiras páginas, já vemos o protagonista tendo seu braço cortado, e para piorar, a cena parece ser algo bem corriqueiro. E mais, você sabe que isso se trata de uma história apocalíptica quando vemos humanos sendo obrigados a comer carne humana. Mesmo com Agni e Luna tendo habilidades de regeneração, eu não acho que algum humano queira chegar no ponto de ter que comer carne de sua própria espécie. Quando a situação chega a esse nível,  é aí que entendemos o quão difícil a situação se encontra.

Pontos de destaque do primeiro volume

Em cenários pós-apocalípticos, nós sempre vemos o pior da natureza humana, e Fire Punch é a prova disso. Em um período onde leis praticamente não existem, aqueles que detém o poder, abusam dos mais fracos. Por esse motivo nós vemos coisas. Até mesmo uma chacina aparecendo logo no começo da história, onde a vila de idosos onde os dois moravam é incinerada pelo que parece ser o antagonista da trama. E assim como a natureza humana de matar para sobreviver, outra coisa que vemos de asqueroso no ser humano neste volume é a opressão através da escravidão. Agni e Luna, que tinham a capacidade de se regenerar eram utilizados como lenha para fogueira, por essa razão, a pessoa que os escravizou chamava os dois de “combustível”. Agni matou esta pessoa, assim ele e sua irmã puderam fugir dali.

Para mim, o grande diferencial desse primeiro volume é a boa representação que ele faz da natureza humana em períodos onde a sobrevivência é necessária. O ser humano quando necessário, pode fazer qualquer coisa acima de qualquer limite. A forma como o autor escolhe fazer isso, através da violência física e emocional, é o que deixa a história ainda mais chocante. De longe, a cena que mais me surpreendeu foi a que o homem diz que quer que duas crianças façam sexo com os cachorros. Aquilo ali foi tão bizarro que me pegou de surpresa.

Conclusão

Eu acho que muitos iriam entrar com um certo preconceito com a obra por achar a premissa meio clichê, mundos pós-apocalípticos e mundos onde as pessoas nascem com algum tipo de poder é algo que é bastante utilizado atualmente. Mas diferente desses outros mangás, esse aqui consegue surpreender pela violência e pela forma como eles retratam os humanos. Depois de ler esse primeiro volume, a minha primeira impressão é de que os poderes (ou benção) serão algo mais secundário na história, ou serão desenvolvidos em algum momento futuro.

Nota para o volume: 3/5

  • Você pode encontrar os volumes de Fire Punch na loja Anime Hunter, Em São PauloBairro da LiberdadeLocal Mapeado
  • Para os fãs do Animystic, vocês podem adiquirir o nosso marca página na compra de um mangá lá na loja da Anime Hunter. Lembrando que se disser que veio pela gente, vocês ganham um desconto de 15% no valor total da compra (5% no cartão). Eae, vai perder?!!!

Pedro Guarani

Tenho 21 anos de idade, sou apaixonado pela parte técnica da animação japonesa. Escrevo sobre animação, enquanto tento engolir o fato de que meu melhor amigo me trocou pela namorada.

Posts Relacionados