InuYasha – Um pouco de nostalgia não faz mal a ninguém

Oie!!! Aqui é a Manu, e dessa vez vou falar de InuYasha, um anime que fez parte da minha adolescência e tenho um grande carinho

InuYasha é um anime shounen com os gêneros de comédia, supernatural, histórico, aventura, fantasia e romance. O anime possui 167 episódios e foi lançado em outubro de 2000. Foi produzido pelo estúdio Sunrise, e é adaptado do mangá de mesmo nome, da autora Takahashi Rumiko.

Esse anime me traz recordações da TV Globinho… Saudades dessa época, onde minha maior preocupação era perder um episódio, ou tirar nota vermelha em português. Acredito que esse anime fez parte da infância de muitos de nós brasileiros, e como eu, muitos não devem ter assistido todos episódios na TV, até mesmo porque, era muito difícil acompanhar todos os dias sem descanso (ou acordando cedo).

©InuYasha – Sunrise

Pois então num belo dia estava fuçando no catálogo da Amazon Prime, e me deparo com o que? Exatamente esse anime super nostálgico. Inicialmente fiquei um pouco decepcionada, porque estava faltando vários episódios, porém resolvi rever, e para a minha alegria, logo foi completado…

Pra quem não assistiu, ou não lembra, o anime se passa no Japão em duas épocas diferentes, feudal e moderna e na época feudal os humanos coexistiam com os Youkais (Seres espirituais), com que viviam em guerra.

A história acompanha o meio youkai Inuyasha (seu pai era um youkai e sua mãe humana) que deseja a joia de quatro almas para se tornar um youkai completo, joia essa que aumenta os poderes dos youkais consideravelmente.

Porém a joia de quatro almas é guardada pela sacerdotisa Kikyou, e numa batalha entre os dois, ela morre, mas antes, atinge Inuyasha com uma flecha mágica e o sela num sono profundo. Na época moderna, temos Kagome, uma estudante que mora num templo, e um dia cai num poço de sua propriedade e vai parar na época feudal.

©InuYasha – Sunrise

Ao caminhar pela época feudal, Kagome encontra Inuyasha preso em uma árvore e o liberta do selo. Ao acordar, Inuyasha descobre que ficou selado por 50 anos, e da mesma forma que antes, vai atrás da joia, porém descobre que a Sra. Kaede (irmã da Kikyou) queimou a pedra junto com o corpo da Kikyou. Descobrimos então, que Kagome conseguiu liberar Inuyasha pois é a reencarnação da sacerdotisa, e devido a isso possui dentro de si a joia de quatro almas.

©InuYasha – Sunrise

A joia é liberada de dentro da Kagome, e numa infeliz situação ela é quebrada em diversos pedacinhos, que se espalham pelo mundo. Como a pedra e muito poderosa e perigosa, a Sra. Kaede diz que Inuyasha e Kagome devem ir atrás desses fragmentos. E assim começa as aventuras de Kagome e Inuyasha.

©InuYasha – Sunrise

Enquanto estão atrás desses fragmentos encontram muitos youkais, e precisam lutar para recuperá-los. Para Kagome, que vive na época moderna, a era feudal é muito violente e cheia de sangue, porém logo ela aprende a usar o arco e começa a ajudar (ou atrapalhar) Inuyasha.

©InuYasha – Sunrise

Essa é uma história com muitas reviravoltas, ainda no início da série descobrimos que Inuyasha era apaixonado por Kikyou, e que ela também estava apaixonada por ele, porém ambos acreditaram ter sido traídos. Kagome também logo se apaixona por Inuyasha, e temos um triangulo amoroso no meio de tudo isso.

©InuYasha – Sunrise

E não temos reviravoltas só no romance, mas conforme vai avançando, o anime se mostra mais complexo do que realmente parece, e é uma delícia de assistir. Além do anime apresentar uma discussão sobre o racismo da miscigenação dos youkais e humanos, que podemos aplicar também a mistura de raças e povos que vivemos nos dias de hoje.

Essa história é repleta de bons personagens, entre eles temos Shippo, um youkai, que é uma raposinha muito fofa e o Sesshoumaru, que é irmão do Inuyasha, que é um daqueles personagens que você começa odiando, mas logo está gostando mais do que do protagonista.

©InuYasha – Sunrise

O gráfico do anime é muito fofo, e bem característico da época, no Amazon Prime ele está dublado, o que é maravilhoso, pois a dublagem é muito bem-feita. A trilha sonora também é muito boa, e as músicas de opening e ending que fizeram em português são muito boas, a primeira opening é muito nostálgica, e quando começa “quero mudar o mundo” não tem como não cantar junto (e por ser em português, pelo menos sei que estou cantando certo, hehe).

Vou deixar aqui os links para que possam relembrar algumas dessas músicas nostálgicas.

1ª Opening 2ª Opening3ª Opening  2ª Ending

Vou ficando por aqui, e até a próxima pessoal.

Posts Relacionados