O que esperar da Camélia? – Resenha de Para Sempre Camélia (Netflix)

E aí, pessoal! Aqui é a Bogo e vou trazer nesse artigo a trajetória de um dos doramas que mais me cativou nos últimos dias. Vamos lá!

 

© KBS – NETFLIX “When the Camellia Blooms”

Parte de mais uma grande leva de Doramas Originais da Netflix, o Para Sempre Camélia estreou em 2019 com uma premissa interessante. Definido como série dramática sobre uma mãe solteira que encontra o amor no meio de uma sociedade cheia de preconceitos, ele oferece uma série de questionamentos de uma maneira tão leve, que faz parecer que a parte tensa da história é a investigação da polícia. Para Sempre Camélia é uma produção feita em conjunto com a KBS e está disponível no catálogo da Netflix desde o ano passado.

Saia só do romance e venha pra um dorama com um pé no chão e o outro na voadora. Porque Para Sempre Camélia merece estar na sua lista do Netflix e porque a novela da Camélia é tão bem construída?

A primeira coisa que se nota é a abertura do dorama, uma chamada doce e leve, daquelas boas de deixar tocando em vez de clicar no botão para começar logo o episódio. E o conjunto da obra é bem fluído e em tons positivos. Ai, sei lá gente, eu me sentia no meio de uma calmaria toda vez que escutava, me lembrou até as músicas do In Love With A Ghost.

Outro dorama que trouxe uma abertura desse estilo foi o It’s Ok, That’s Love de 2014. É incrível também que ambos os doramas tratem de assuntos “mais adultos” e nos envolvam nessa doçura e diversão na abertura. Essa história fica para outro momento, mas vale a pena dar uma conferida!

Os dois trabalham com traços que vão muito além do simples romance, trazendo a tona o que é ter que viver em sociedade em um tom muito menos exagerado do que o usual nas produções coreanas. Novelas coreanas num geral sabem fazer piadas muito bem, retratar o cotidiano de uma forma bem dramática, mas são poucas as que trazem esse dia-a-dia como o foco. 

© SBS “It’s Okay, That’s Love”

Inclusive, a atriz Gong Hyo Jin foi a protagonista em ambos. Aconselho muito a assistirem todos os doramas que ela fez, pois essa atriz manda muito bem. E já que estamos falando dela, vale puxar para o ponto principal nessa história: A Camélia, sua personagem neste dorama.

Camélia na realidade é uma plantinha cuja algumas variações de flor são conhecidas por sua beleza e por se manter firme o ano inteiro. Além disso, ela possui diversos significados e valores, como grandeza de alma, perfeição, reconhecimento e a utilidade do chá.

Sabia que a Camellia sinensis é planta que dá origem ao chá? Por mais que chamemos infusões diversas de chá, somente as feitas a partir desta planta podem ser consideradas “chá de verdade”. Fica aí essa curiosidade para a vida (ou numa conversa em eventos).

 

Mas o que tem a ver a flor com a personagem?

Nesse dorama eles fazem um jogo entre o nome de um estabelecimento e a personagem principal, usando a Camélia. E essa pegada é muito interessante, pois mostra a visão distorcida que as pessoas têm sobre as flores. Ou é aquela flor suave, bonita e só, ou é aquela flor forte que intimida e seduz. A Camélia é um nome convidativo para o local, é uma flor bonita, mas pode ser interpretada mal, simplesmente por ser a Camélia.

É muito comum ver associações de mulheres a flores, digo não só em doramas, mas em animes ou outros casos, até mesmo no Brasil. Muitas vezes chamamos pessoas de quem gostamos de “minha flor”, quando não ironicamente usada a expressão. Ora, flores podem ser delicadas, cheirosas e atrativas. Porém esquecem que também são elas que se transformam e se apagam quando retiradas de seu habitat só pela beleza.

© KBS – NETFLIX “When the Camellia Blooms”

Ok, vamos ao que interessa? Personagens humanos. A Dongbaek – interpretada pela Gong Hyo Jin –  como mãe, empreendedora, filha e mulher é uma personagem completa. Você consegue ver como ela tomou cada rumo da vida e como tomou cada decisão de acordo com o que aconteceu consigo mesma. E a sua essência que é doce assim como uma flor, o cultivo de tal “formosura” é um ponto a ser pensado. 

Em várias culturas, é possível ver a associação da flor às pessoas bonitas e admiráveis, e nesse dorama eles trabalham bem isso. Dongbaek é vista inicialmente como bonita, mas com o tempo notamos como ela é uma pessoa admirável, como ela é forte e ao mesmo tempo frágil, e mesmo assim, como ela não subverte (apesar de parecer que sim).

Nós estamos acostumados a pedir por protagonistas fortes, que são fortes sempre. Ou torcer por choronas se transformarem e nunca mais voltarem a serem aquilo. Mas gente, isso não é a realidade, estamos mudando a cada momento, isso vale para todos os personagens dessa trama e para nós mesmos.

© KBS – NETFLIX “When the Camellia Blooms”

Assim, chegamos no personagem que simboliza o papel do parceiro romântico. Interpretado por Kang Ha-neul, o rapaz Yong Sik traz o que normalmente vemos nos protagonistas masculinos que não ficam com a mocinha ou o que representaria a personagem principal da trama. Claro, estamos falando de um dorama, então ele continua sendo persistente, horando a cultura coreana e fazendo algumas coisas bem óbvias. Ademais, ele faz sentido e é humano. Ele ri, chora, faz careta, brinca, trabalha e tem suas dúvidas.

O personagem pensa por si próprio e ele mesmo traz questionamentos do que é comum na sociedade e que talvez mereça uma mudança. Isso é um fator muito forte nesse dorama. Apesar de alguns personagens parecerem nunca mudarem ou mudarem de uma vez, outros mudam gradativamente como presenciamos na vida real.

Sobre o romance, ah, o romance… Apesar de ser bem clichê, foi divertida a forma como abordaram o romance nesse dorama. Tenho ressalvas, pois pareceu muito mais adolescente do que adulto, mas no caso da história e criação dos personagens, acho que bateu muito bem. E não fizeram casais sem química ou sem sentido.

© KBS – NETFLIX “When the Camellia Blooms”

Também aparecem na história o filho da Dongbaek, que é super importante para a trama, suas vizinhas e vizinhos e pessoas do passado da moça. Isso tudo de uma forma ora dramática, ora divertida, mas sempre ligando os pontos.

O que se espera de uma mãe solteira? Que ela seja forte ou que ela seja digna de pena? Essas são algumas das perguntas feitas mentalmente na nossa cabeça. E, olha, doramas sobre mães são bons para dar aqueles tapas na cara. Aproveitando o momento, vou fazer outra sugestão nesse post: o dorama Twenty Again que narra a história de uma mãe que viveu pelo seu filho e somente para a família até que decide tomar as rédeas de sua vida e seguir um rumo para si também.

Essa história mexe muito com os pensamentos que a sociedade tem sobre os assuntos mais corriqueiros, como criar um filho, sair com alguém conhecido, aquela questão de “enquanto tá longe de mim, eu aturo”, etc. Isso tudo, de uma maneira espontânea e contagiante, contando uma história do cotidiano. E sério, doramas com esse ar de dia a dia são tão bons que passam num instante (e olha que a versão do Netflix tem episódios com pelo menos 60 minutos de duração), porque isso nos aproxima da realidade das personagens, por mais que tenha nada a ver com as nossas vidas.

Esse dorama é aquele cafézinho de depois do almoço com uma colher de açúcar. Nós tomamos sem perceber o quão amarga é a bebida, muitas vezes é até o que precisamos na hora, mas no fundo sabemos que só estamos disfarçando. Ele tem a história toda de investigação de assassinato, mas a trama é tão leve e tão centrada em como a vida da protagonista é levada que os crimes realmente viram segundo plano.

A Netflix está cada vez mais apostando no mercado de Doramas para outros países (além dos que os produzem). O Brasil está de braços abertos para receber esse conteúdo, ainda mais, novelas num nível tão bom e com finais tão fechadinhos como Para Sempre Camélia.

 

E, você? Está indo na onda de doramas da Netflix?

Follow Me:

Posts Relacionados