Primeiras Impressões: Diamond no Ace: Act II

Diamond no Ace: Act II

Gênero: Vida escolar, comédia e esporte
Estúdio:  Madhouse (HunterxHunter, Deathnote e Cardcaptor Sakura)
Baseado em: Mangá
Diretor: Mitsuyuki Masuhara
Data de estreia: 2 de Abril

Sinopse: A história retorna logo após o fim do torneio de primavera. Sawamura Eijun, agora no 2º ano, continua em sua busca incessante para se tornar o melhor arremessador do Japão. E desta vez, ao lado de novas e velhas faces o time de baseball do colégio Seidou segue rumo ao objetivo maior: O Koshien. Diamond no Ace: Act II é continuação direta de Diamond no Ace.

Análise e opinião pessoal sobre o Enredo

Talvez não tenha sido o retorno que a maioria do público esperava, mas temos que levar certos pontos em consideração sobre este primeiro episódio em específico. Diamond no Ace: Act II estreou mais de dois anos depois do fim de sua temporada passada. Eu sei que a maioria do público não gosta de recapitulações, já que elas em sua maioria entregam conteúdo que o telespectador já viu.

Além de tudo, elas podem ser uma ótima alternativa para muitos estúdios terem tempo de adiantarem suas produções, o que eu não acho que tenha sido o caso neste primeiro episódio, para mim, fica bem claro que o objetivo deles era refrescar o público com os acontecimentos chaves das duas primeiras temporadas, que são: A derrota para a Inashiro e a vitória contra a Yakushi que garantiu a vaga no Koshien de primavera.

©Diamond no Ace / MADHOUSE

Será que o autor da obra não cansa de fazer o Sawamura passar vergonha? Durante os mais de 100 episódios do Act I foram poucas as vezes que Eijun se destacou para valer. Eu sei que o autor quer minuciosamente desenvolver ele, mas o problema é que já estamos no 2º ano e a distância entre Sawamura e Furuya aumenta cada vez mais. Enquanto que um é tietado pelos jornalistas, o outro escorregou e caiu de cara no campo da competição mais importante do baseball colegial. Eu acho que já está mais do que na hora de aumentar a curva de crescimento de Sawamura, se não, ficará cada vez mais difícil olhar para ele como protagonista.

©Diamond no Ace / MADHOUSE

O final do episódio já deixa claro que a Seidou irá enfrentar o time de Hongou Masamune, que é considerado atualmente como melhor arremessador do país, e que junto de seu time derrotou a Inashiro no último Koshien. Eu acredito que a introdução de Masamune e da Komadai é de vital importância para série. Enfrentar o melhor time do país e o melhor arremessador será o maior teste do time. Para Sawamura, esse jogo poderá ser o estopim de sua crescente, já que talvez ele tome um choque de realidade jogando contra o melhor do país em sua posição.

Análise Técnica

A direção não foi nada demais, foi praticamente um copiar e colar da história original e não há muito também o que se comentar sobre o ritmo do episódio. Sobre a animação, ela continua não sendo nada demais. Em produções de animes de duração longa o calendário é geralmente mais bagunçado e acaba fazendo com que a animação caia bastante, além de aumentar a chance de episódios feitos por outros estúdios. O meu maior medo era que a Madhouse fizesse cair o nível da animação em comparação as duas primeiras temporadas, que também estão bem longes de serem bem animadas, felizmente, o nível se manteve praticamente o mesmo.

Pontos Positivos x Pontos Negativos

A ideia de re-introduzir os personagens e relembrar os acontecimentos chaves das temporadas anteriores provavelmente ajudou bastante gente, apesar das críticas, eu acho que é válido tratar ele como ponto positivo, já que conseguiu colocar a maioria do público de volta nos trilhos da história. Para pontos negativos, eu gostaria de deixar a falta de desenvolvimento em Sawamura, mas acho que ainda é muito cedo para isso. Meu maior ponto negativo fica em torno das trilhas sonoras, que continuam não tendo nenhum impacto na obra.

©Diamond no Ace / MADHOUSE

Vale a pena fazer a regra de 3? (Assistir os três primeiros episódios)

Sim! Vale a pena.

Nota do episódio: 3/5

Pedro Guarani

Tenho 21 anos de idade, sou apaixonado pela parte técnica da animação japonesa. Escrevo sobre animação, enquanto tento engolir o fato de que meu melhor amigo me trocou pela namorada.

Posts Relacionados