Primeiras Impressões: Hero Mask

HERO MASK

Hero MaskGênero: Ação, ficção científica, fantasia, suspense e mistério
Estúdio: Pierrot (Tokyo Ghoul, Bleach, Yu Yu Hakusho)
Fonte: ONA (Original Net Animation) Material Original
Diretor: Hiroyasu Aoki (diretor de episódios de Hunter x Hunter)
Data de lançamento: 03 de Dezembro 2018

Sinopse:

A história acompanha James Blood, um dos agentes da SEC, uma organização especial do governo que investiga crimes e ameaças terroristas. Após uma série de assassinatos misteriosos, ele terá que descobrir como tudo isso se liga com uma estranha máscara.

Análise e opinião pessoal sobre o Enredo

O universo apresentado em Hero Mask, já é bem chamativo, o clima  de trama policial se apresenta logo de cara, e percebe-se também traços de ficção científica. Começamos o episódio acompanhando uma missão de James Blood, onde pode-se notar facilmente sua personalidade mais impulsiva, porém bem intencionada, ao tentar evitar a todo custo que um atentado seja realizado em público, durante uma espécie de manifestação na rua. O que deveria ser uma operação discreta, acaba estourando com troca de tiros e a perseguição aos criminosos. Após uma perseguição intensa, e seu desfecho favorável aos investigadores, descobrimos o SEC, essa agência especial anti crimes, e alguns de seus componentes, tendo em Blood um de seus mais jovens e mais eficientes agentes de campo.

Tudo isso é introduzido de maneira bem dinâmica e possibilitando que a curiosidade por aquele universo seja criada. O suspense fica no ar, ao percebermos personagens novos sendo apresentados rapidamente e em contextos de mistério, no meio de investigações ou em troca de informações sigilosas.

©Hero Mask/ Pierrot

Alguns elementos mais fantásticos também são logo introduzidos, revestidos de uma roupagem de Sci-Fi,  vemos equipamentos de identificação na retina, que permitem uma espécie de realidade aumentada ao agente de campo, bem como protótipos de armas não letais. Apesar da apresentação dinâmica, e os personagens misteriosos, existe um certo tom de lentidão para com a trama, uma vez que apenas um único mistério de fato é entregue aos personagens principais, no fim do episódio, enquanto o público ainda assiste as demais icognitas se amontoando no decorrer do capítulo”.

Análise técnica

O visual de Hero Mask é, sem dúvida, seu carro chefe. Existe uma certa referênciação a um tom de ficção cientifica “pré cyber punk”, por assim dizer. Além de contar com cores realçadas nas cenas à noite, que logo fazem referências a outras obras do gênero e ao próprio estilo de sci-fi presente em outras obras. Possui uma animação agradável  com design de personagens mais sóbrios e menos estilizados. As cenas de ação são logo apresentadas e, apesar de eficientes e bastante agradáveis, essas não seguram a audiência sozinhas; deixando claro que esse não deve ser, também, o principal chamariz para a série. O estúdio, apesar de ter casos questionáveis em seu histórico (Narutinho), não deixa a desejar dessa vez. Com visuais realmente atraentes e uma cidade que tenta ser um personagem por si só.

©Hero Mask / Pierrot

O roteiro, por sua vez, apresenta de forma eficiente os dilemas desse mundo. Apesar de bem explicativas, as cenas de exposição são necessárias. A música no anime, acaba por soar genérica em alguns pontos, mas não foge a temática mais puxada ao suspense trazendo ritmo e ajudando a criar uma ambientação ideal. O mesmo se pode falar dos dubladores, que mesmo na versão nacional não desapontam. Com destaque para Ricardo Juarez, conhecido por ser a voz do Kratos nos jogos de God Of War, também faz um excelente trabalho aqui dando a voz a Lenox o chefe da SEC. A versão nacional dos personagens fazem jus aos seus pares orientais.

Pontos positivos X Pontos negativos

Apesar do clima de mistério ficar evidente logo de início, e o roteiro nos levar de encontro a situações problemáticas que despertam a curiosidade, existe ainda um tom incômodo em relação a se ter uma trama grande demais para ser descoberta. Como se houvesse o risco de haverem muitos buracos no desenvolvimento do roteiro. A obra parece oscilar entre algo bastante eficiente dentro do gênero proposto e algo que soa genérico e com clichês pouco aproveitáveis.

Os personagens principais são logo estabelecidos, bem como suas índoles e suas personalidades, os antagonistas, no entanto, permanecem em mistério, mesmo tendo suas aparições evidenciadas.  Quando não se tem um inimigo ou situação problema bem apresentados logo de cara, existe o risco da obra se arrastar com o protagonista às cegas no meio de uma trama intrincada. Entretanto vale se atentar que mesmo com um primeiro episódio aparentemente deixando pontas demais, esse ainda é o primeiro episódio.

©Hero Mask / Pierrot

 

Toda a gama de personagens e possibilidades de armações políticas e criminais permitem uma abordagem variada desse universo, o que por si só já é um ponto positivo. Tramas de ficção científica com esse apelo policial sempre carregam diferentes camadas para análise, e Hero Mask aparenta trazer doses disso com direito a uma exploração de sentimentos muito válida logo de início.

Com seus 15 episódios já disponíveis no catálogo da Netflix, podemos nos perguntar se essa tentativa de fugir da formatação de 12 por temporada não será um tiro no pé. Uma vez que, por ser uma produção original do serviço de streaming, ela pode sofrer o mesmo que outras produções, que se arrastam por tempo demais.

No fim, o anime é sim cativante e desperta interesse desde esse primeiro episódio, apesar de despertar mais curiosidade a respeito daqueles que parecem ser os vilões, mais do que os próprios investigadores e protagonistas. O elenco feminino de destaque, até então se resume a duas personagens, que realmente espero que tenham um bom desenvolvimento ou que, ao menos, apareçam mais protagonistas femininas fortes que possam se sobressair.

Vale a pena fazer a regra de 3? (assistir os 3 primeiros episódios)

Sim!

Duvido que não fique curioso ao assistir!

Nota do episódio 01: 3,5/5

Henry(Vulpixs) Yamaguchi

Fundador e CEO do Animystic. Moro no Japão desde pequeno até então, sou trabalhador diurno e editor de podcast nos períodos da noite. Amante de animes com boa história, literatura e tudo que envolva mitologia

Posts Relacionados