Primeiras Impressões -Tokyo Ghoul:RE

Tokyo Ghoul:RE

Ghoul de Tóquio: re

Gênero: Ação, horror, mistério, psicológico e sobrenatural
Estúdio: Pierrot (Narruto, Black Clover, Yuu Yuu Hakusho)
Baseado em: Mangá
Diretor: Odahiro Watanabe (Temporadas anteriores de Tokyo Ghoul)
Data de estreia: 03/04/2018

Sinopse:

Dois anos se passaram desde o ataque do CCG a Anteiku. Embora a atmosfera em Tóquio tenha mudado drasticamente devido ao aumento da influência do CCG, ghouls continuam a representar um problema a medida que começaram a tomar cuidado, especialmente a organização terrorista Aogiri Tree, que reconhece a crescente ameaça do CCG à sua existência.

A criação de uma equipe especial, conhecida como Esquadrão Quinx, pode fornecer ao CCG a pressão necessária para exterminar os residentes indesejados de Tóquio, como humanos que foram submetidos a cirurgias para usar as habilidades especiais de ghouls, eles participam de operações para erradicar as criaturas perigosas. O líder desse grupo, Haise Sasaki, é um meio carniçal, meio humano, treinado pelo famoso investigador de classe especial Kishou Arima. No entanto, há mais sobre esse jovem do que aparenta, como memórias desconhecidas que agarram sua mente, lentamente lembrando-se da pessoa que ele costumava ser.

Análise e opinião pessoal sobre o Enredo

A continuação de Tokyo Ghoul surpreendeu muitos, mas Tokyo Ghoul:RE fica meio confuso para quem não leu pelo menos uma boa parte do mangá, bastante coisa está mudada, principalmente o Kaneki em questão de personalidade, o que poderia ter acontecido depois de tanto tempo? Eu mesmo não estou ciente de tudo, tem muita coisa para ser esclarecida, e creio que esta nova temporada veio para mostrar o que aconteceu e o que está acontecendo com o nosso garoto ghoul.

Umas das principais mudanças que me chamou a atenção foi ver o Kaneki como um veterano de primeira classe, um líder de um grupo chamado Quinx; esse esquadrão não é “nada mais e nada menos” pessoas que conseguem usar e controlar habilidades ghouls, e todos eles têm a sua posição.

©Pierrot

Esse primeiro episódio foi bem animado, começou e terminou com bastante ação, vejo que o padrão do anime ainda continua o mesmo (Só espero que melhore e não piore nada).

Análise técnica

Bem, devo dizer que a animação não está ruim, pelo contrário, está bem aceitável, mas admito que não esperava muito da famosa Pierrot, as vezes ela sabe fazer um bom trabalho. A direção desta vez não ficou nas mãos do Shuhei Morita, mas sim do Odahiro Watanabe, foi responsável pela direção de Soul Buster (Não sei se esse anime é bastante conhecido entre vocês).

Em questão de caracteres visuais, só alguns personagens estão aceitáveis, outros ainda deixam a desejar. Sobre a trilha sonora, vamos dizer que está de acordo com o gênero. A música de abertura é um tanto animada, porém poderia ter sido melhor. Ela pode se tornar cansativa ao longo dos episódios e isso não é muito legal. Já o encerramento, tem uma pegada bastante diferenciada, traz um rock “alternativo” e não mostra ser cansativa.

©Pierrot

Em geral, cenas, animação, música, tudo bem aceitável, digamos que segue o padrão das últimas duas temporadas.

Pontos postivos X Pontos negativos

Tokyo Ghoul:RE tem muito a oferecer e superar as duas últimas temporadas (sabemos que a segunda temporada não foi muito legal). Então, essa é a hora de mostrar o que essa obra tem de melhor, e não só decepções.

Há muitas pessoas que acompanham o mangá e não reclamam, (Eu mesmo já li, e admito que é bem legal), mas se você que nunca viu Tokyo Ghoul antes, e procura um anime do gênero, tem toda a minha humilde recomendação, só que se você ver algo e não gostar, não se decepcione.

Será que vale a pena dar uma chance para a obra? A resposta eu deixo com vocês.

Nota do episódio 01: 4/5

Felipe Silva

Tenho 19 anos, moro em Pernambuco, estudante de TI, estou sempre em busca de aprendizado. Sou amantes dos animes, e não sou lolicon. Animes que eu indico: Steins;Gate, Shigatsu wa Kimi no Uso e Yuru Camp

Posts Relacionados