Relembre todos animes que conseguiram uma indicação ao Oscar

© Mirai – Studio Chizu | © A Viagem de Chihiro – Studio Ghibli | © Vidas ao Vento – Studio Ghibli

Hey! Aqui é o Lucasnauta e hoje quero aproveitar o clima do Oscar para fazer uma retrospectiva de todos os animes que já foram indicados na história premiação.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas é conhecida por ser bastante conservadora na hora de escolher seus indicados, produções ocidentais geralmente são as mais contempladas na premiação, deixando pouco espaço para obras que fujam do estilo habitual americano.

Contudo, existem exceções! Em 2020, por exemplo, o sul-coreano “Parasita” recebeu 6 indicações (incluindo melhor filme), mas como estamos falando da categoria de melhor animação, podemos voltar no tempo e encontrar diversos casos onde essa barreira cultural também foi rompida.

Aliás, é importante ressaltar que essa categoria foi criada em 2002, ou seja, obras icônicas como Akira e Princesa Mononoke não tiveram a chance de concorrerem em suas épocas de lançamento.

© A Viagem de Chihiro – Studio Ghibli

A relação do Oscar com os animes começa no ano de 2003, quando A Viagem de Chihiro não só recebe uma indicação, como também leva a estatueta de melhor animação para casa, o longa é dirigido por Hayao Miyazaki (que na época, se recusou a ir buscar o prêmio).

No filme, acompanhamos Chihiro, uma garota de 10 anos que está se mudando com sua família para uma nova cidade contra sua vontade. Durante o caminho, a família acaba se perdendo e indo parar de frente com um túnel em meio a estrada, curiosos, eles atravessam e chegam em uma cidade totalmente vazia, após ficar surpresa ao ver que seus pais foram transformados em porcos, Chihiro inicia sua jornada, buscando salvar seus pais enquanto conhece um mundo desconhecido e repleto de seres fantásticos.

O anime entrou para o imaginário popular e foi a porta de entrada do Studio Ghibli para boa parte do grande público ocidental.

 

© O Castelo Animado – Studio Ghibli

O Studio Ghibli receberia sua segunda indicação 3 anos depois com O Castelo Animado, também dirigido por Hayao Miyazaki, contudo, o filme Wallace & Gromit saiu vencedor naquele ano.

Durante a obra, acompanhamos a jovem Sophie, que após ter sido aprisionada em um corpo de uma idosa, decide sair a procura de um castelo andante onde um feiticeiro e seus companheiros habitam, para assim, buscar ajuda para reverter o feitiço.

© Vidas ao Vento – Studio Ghibli

Por incrível que pareça, levou 8 anos para uma outra animação japonesa ser indicada, o retorno aconteceu em 2014 com Vidas ao Vento, até então, o último filme do Studio Ghibli que Hayao Miyazaki dirigiria.

Naquele o ano, “Frozen – Uma Aventura Congelante” foi o premiado!

 

© O Conto da Princesa Kaguya – Studio Ghibli

A próxima indicação viria no ano seguinte (2015) com O Conto da Princesa Kaguya, o último filme do diretor Isao Takahata.

Baseado em um conto japonês muito popular chamado “A Garota do Bambu”, “O Conto da Princesa Kaguya” apresenta uma história que se inicia quando um cortador de bambu encontra uma menina minúscula dentro de um tronco, após conviver com seus pais adotivos e crescer como um bebê normal, Kaguya se transforma em uma bela jovem extremamente cobiçada por cinco nobres (incluindo o imperador), contudo, nenhum deles é o que ela realmente quer, estabelecendo assim, a necessidade de enfrentar o próprio destino com base nas suas escolhas.

Na ocasião, o filme concorria com Como Treinar o Seu Dragão 2, Os Boxtrolls Song of The Sea Operação Big Hero, longa da Disney que acabou saindo premiado.

 

© As Memórias de Marnie – Studio Ghibli

Nesta época, a academia tentava se mostrar mais aberta a produções fora do eixo americano, resultando assim na terceira indicação consecutiva de um filme do Studio Ghibli.

Em 2016, o anime As Memórias de Marnie concorreu com Anomalisa , Shaun o Carneiro – O Filme, o longa brasileiro O Menino e o Mundo e Divertida Mente, filme vencedor do Oscar naquele ano.

 

© A Tartaruga Vermelha – Prima Linea Productions, Why Not Productions, Wild Bunch, Studio Ghibli, CN4 Productions, Arte France Cinéma, Belvision

Em 2017, a animação japonesa acabou sendo representada por um co-produção entre França, Bélgica e claro, o Japão.

Trata-se da animação A Tartaruga Vermelha, que naquele ano concorreu com Kubo e as Cordas Mágicas, Moana, Minha Vida de Abobrinha e com o premiado Zootopia – Essa Cidade é o Bicho.

 

© Mirai – Studio Chizu

A última indicação (até o momento) de um anime em longa metragem no Oscar aconteceu em 2019, quando a produção Mirai, dirigida por Mamoro Hosoda (de Guerras de Verão, Crianças Lobo e O Rapaz e o Monstro), também concorreu na categoria de melhor animação.

Com uma história que mistura passado e presente, acompanhamos Kun, um garoto que após a chegada da sua irmãzinha, se vê retraído e com ciúmes da atenção que os pais dedicam a recém-nascida. Em meio a seu jardim, ele adentra a um mundo fantástico onde entra em contato com seus familiares de diferentes gerações. Por meio dessa experiência, Kun  também passa a conhecer melhor a si mesmo.

Naquele ano, o longa disputou a estatueta com Os Incríveis 2, Wi-Fi Ralph, Ilha de Cachorros e Homem-Aranha: No Aranhaverso (filme que saiu premiado).

Quando pensamos no histórico da premiação, percebemos uma dominância quase total de animações ocidentais. Para ser mais exato, de 2002 até 2020, o Oscar indicou 79 produções na categoria em questão, onde apenas 7 foram animações japonesas (sendo A Viagem de Chihiro sendo a única obra oriental a ser premiada).

Creio que o cenário não deva mudar e que tanto o Japão, quanto outros países estrangeiros, continuarão sendo contemplados de maneira esporádica e apenas com indicações pontuais, a não ser, claro, que alguma produção futura se torne um grande hit e encante os votantes da academia.

De qualquer forma, foi ótimo poder relembrar de todas essas obras e eu espero que você também tenha gostado do conteúdo.

E para você? Qual anime merecia uma indicação ao Oscar?

Posts Relacionados