Seishun Buta Yarou wa Bunny Girl Senpai #EP05 e #EP06 ⌈Análise Semanal⌋

Seishun Buta Yarou wa Bunny Girl Senpai #EP05 e #EP06 ⌈Análise Semanal⌋
O Demônio de Laplace [2 & 3]

Ainda não viu a análise dos episódios anteriores? Então clique aqui para ser direcionado a página de análises de Seishun Buta Yarou wa Bunny Girl Senpai no Yume wo Minai

Apresentação do episódio

Como na semana passada não teve análise de Bunny Girl, venho desta vez para trazer a análise dupla, com os episódios 5 e 6, nos quais fecham o segundo arco (O Demônio de Laplace) do anime que está focado na personagem Koga e sua síndrome da puberdade.

Quando um demônio se apaixona

Seguindo do ponto onde Sakuta finge estar num relacionamento com Koga para que afaste o Maesawa-senpai dela, o mesmo termina em uma saia justa por não ter dado satisfação à Sakurajima Mai. No entanto por mais tsunderê que pareça, ela compreendeu muito bem a situação e mesmo com ciúmes, não deixou seus sentimentos se misturar com a razão.

Durante este arco nós vimos Koga ter a necessidade do Sakuta para ajudá-la com suas mentiras. Desta forma, ambos passaram dias e momentos juntos, fingindo ser um casal de verdade e Sakuta até humilha Maesawa em público. Após um encontro falso onde Sakuta e Koga começam a criar memórias falsas, Koga pergunta a Sakuta o motivo dele estar ajudando mesmo sem conhecer muito ela. Sakuta responde que ela parecia uma boa pessoa e bonita, assim ele não poderia recusar o pedido de alguém com tanta sinceridade no coração.

Este foi o ponto que mudou tudo. O que era pra ser apenas uma mentira, acabou se tornando real. O demônio de Laplace já havia caído num poço onde não conseguiria mais subir sozinho. De uma mentira para uma verdade, aos poucos Koga foi se apaixonando pelo Sakuta, e o sentimento só cresceu cada vez mais.

A mentira de Laplace que duraria para sempre

Como o combinado, Koga termina o falso relacionamento com o Sakuta na praia, mesmo que fosse doloroso para ela. Agora que Sakuta finalmente estava pronto para seguir sua vida e entrar nas férias de verão escolares, quando ele acorda, percebe que havia voltado um dia. Novamente o demônio de Laplace teria rodado seus dados para reviver mais uma vez esse último encontro, e assim, vivenciar eternamente esse mesmo dia (algo parecido com o Infinito 8 de Suzumiya Haruhi).

Koga finge não saber nada sobre não ter rodado os dados, e que estaria vivenciando pela primeira vez o dia 18 de julho. O efeito dos dados de Laplace veio acontecendo por inúmeros dias até que Sakuta se cansou e jogou a verdade para cima de Koga.

“Não importa o quanto role os dados, o sentimento das pessoas não mudarão. Mentiras não se tornam verdades e a verdade nunca se torna uma mentira” diz Sakuta para Koga entender que a pessoa no qual está apaixonado, continua sendo a Sakurajima Mai. Tristemente, Koga responde ao Sakuta com uma pergunta “Mesmo se eu rolar os dados 10… 100… ou 1.000 vezes? Pois os sentimentos mudam sim. Mudaram comigo”.

O sentimento de Koga pelo Sakuta se acumulou tanto que ficou impossível de se despedir dele. Toda vez que ela acordava, o sentimento ia crescendo gradativamente, sem parar. Ela tentou tanto ter um final feliz com ele, que tudo acabou dando errado. Após toda a comoção, Koga rola os dados pela última vez e faz voltar até o dia 27 de junho, no dia em que tudo começou. Desta vez ela encararia de frente a confissão do Maesawa-senpai e o rejeitaria, fazendo assim com que ela pudesse ter que passar por várias frustrações futuras ao ser deixada de lado pelas amigas. Embora que talvez isso possa acontecer, desta vez ela terá um amigo de verdade para estar ao seu lado.

Conclusão

Para o começo do arco eu estava receoso quanto ao fato do roteiro deixar a Mai de escanteio. O que não aconteceu. Mesmo o foco do arco tendo sido na personagem Koga e sua síndrome da puberdade, o mesmo não deixou a peteca cair e tão pouco rebaixar a importância da Sakurajima dentro do anime. Por mais incrível que pareça, todo o desenvolvimento do arco “O Demônio de Laplace” envolve o quanto Sakuta ama e é fiel à Mai, que é por este ponto que toda a história se desenvolve dando prosseguidade ao romance mesclado com o drama que por sinal, é muito bom. Tanto o arco da Mai quanto o da Koga, foram ótimos arcos e muito bem explorados, desenvolvidos e concluídos. Tanto uma quanto a outra dariam ótimos pares pro protagonista, mas o coração aqui fica com a Mai.

Nota do episódio 5: 4/5
Nota do episódio 5: 5/5
Nota do arco “O Demônio de Laplace”: 4/5

Mande um email para recrutamento@animystic.com.br ou https://animystic.com.br/recrutamento/ 

Henry(Vulpixs) Yamaguchi

Fundador e CEO do Animystic. Moro no Japão desde pequeno até então, sou trabalhador diurno e editor de podcast nos períodos da noite. Amante de animes com boa história, literatura e tudo que envolva mitologia

Posts Relacionados