O subgênero Isekai é popular e ao mesmo tempo repetitivo?

Olá a todos, aqui é o David e irei falar sobre o isekai ser um subgênero muito popular e, ao mesmo tempo algo repetitivo, o que acaba deixando algumas obras muitas das vezes sem graça. Particularmente, esse é um dos subgêneros que eu mais gosto, pois aborda uma pessoa ou grupo que são enviados para outro mundo por diferentes motivos.

Esse grupo de obra são atreladas a outros gêneros tais como comédia, ação, drama, aventura, entre outros. Os animes mais famosos desse tipo são: Konosuba (comédia), Youjo Senki (ação), Re:Zero Kara Hajimeru Isekai Seikatsu (psicológico), e Sword Art Online (aventura e fantasia).

O lado ruim do Isekai

Nos últimos anos, virou tendência sairem animes que envolvem isekai devido ao crescimento do público interessado. Ao meu ver, isso é muito bom por um lado, pois possibilita a oportunidade de novas obras mostrarem algo diferente do que estamos habituados a assistir. Mas a realidade é muito decepcionante, pois muitos dos títulos lançados nesses últimos três anos foram abaixo do esperado.

Grande parte apresentou um enredo sem graça, personagens que parecem cópias de obras mais antigas, cenários idênticos ao demais isekais, e a trilha sonora que parece inexistente. Isso meio que acaba saturando o público geralmente; deixando uma fama ruim no subgênero isekai. 

O enredo é um fator crucial em uma obra, porque o desenrolar da história impacta diretamente aqueles que estão assistindo o anime. Além disso, a construção da trama acaba determinando o desfecho para os personagens. No anime Isekai Cheat Magician, pode ser visto como um enredo fraco acaba influenciando de maneira negativa o desenvolvimento dos personagens.

Falando em personagens, percebe-se que nos últimos anos apareceram protagonistas com uma aparência semelhante e inclusive personalidades quase iguais. A falta de criatividade da maioria dos responsáveis pelo character design e pelo enredo são gigantescas. Pois, apresentam heróis e heroínas genéricos em suas aparências e seus modos de agir. Alguns exemplos como: Isekai wa Smartphone to Tomo ni, Death March kara Hajimaru Isekai Kyousoukyoku e Kenja no Mago tinham um potencial gigantesco que não foi aproveitado.

©A-1 Pictures/Silver Link/Encourage Films

Considero que o personagem principal é a engrenagem que move a história; sendo um dos fatores determinantes para fazer com que a pessoa continue acompanhando o anime ou simplesmente pare por não ser interessante. O protagonista de Kenja no Mago exemplifica muito bem a questão de ser alguém extremamente forte e com muito carisma. Porém, ao longo dos episódios é notável que sua presença some, e ele vira um rapaz overpower qualquer. É claro que existem outros animes que fazem o mesmo; em alguns casos até pior.

Muitos desses personagens acabam tendo um harém desnecessário e acaba enfatizando a ideia do descaso com o elenco sem ter o desenvolvimento em suas personalidades. O gênero harém não deveria existir no mesmo anime que tenha isekai, pois é colocado service exagerado que acaba sobressaindo no enredo e prejudicando o desenvolvimento da história.

Além do mais, olhando para o histórico é visível o número expressivo de animes que fazem a mesma coisa e nem buscam criar algo diferente para surpreender o público. Para afirmar o que estou dizendo, é só prestar atenção nas garotas de Isekai wa Smartphone e Death March que são personagens genéricas que não têm relevância, pois não há desenvolvimento em suas personalidades, e inclusive contribuem para deixar a história ainda pior.

O lado bom do Isekai

Por outro lado, há exceções que conseguem ser o oposto dos animes citados anteriormente. Por exemplo, Konosuba conseguiu aproveitar seus personagens e apresentar uma comédia de qualidade usando a ideia de isekai corretamente. Além disso, Kazuma é o grande exemplo de protagonista diferenciado desde sua aparência até a sua personalidade, ele que move a história com as outras heroínas. Para aqueles que assistiram ao anime, devem ter notado que não há sinais de personagens com características genéricas.

O anime com subgênero isekai não precisa seguir necessariamente todos os padrões de obras que fizeram sucesso com o objetivo de fazer algo de qualidade. Basta criar uma história com enredo criativo sem copiar as ideias alheias tendo personagens carismáticos com personalidades únicas e havendo cenas com ost’s que façam sentido.Um grande exemplo é o anime Ascendance of a Bookworm; ele comprova o meu ponto de vista sobre como abordar o enredo, fazer o bom uso de seus personagens; além de ter uma trilha sonora bem inserida.

Seguindo a ideia de animes com uma história diferenciada, um dos melhores animes com subgênero isekai é Re:Zero Kara Hajimeru Isekai Seikatsu. O enredo que acaba mexendo com o psicológico e sabe conduzir seus personagens à medida que vai caminhando, e também ligando os pontos dos acontecimentos com base nas ações do protagonista. Aliás, os sons para deixar em evidências os momentos importantes são uma das principais qualidades desse anime.

©Studio Deen

É claro que existem isekais bons que não agradam parcela do público, mas depende dos conceitos que levam a pessoa ter interesse em assistir determinada obra. Tate No Yuusha No Nariagari e Shinchou Yuusha: Kono Yuusha ga Ore Tsueee Kuse ni Shinchou Sugiru foram considerados animes legais em 2019, mas que podem não agradar um grupo de pessoas pelo enredo e seus personagens.

No caso de Tate no Yuusha, creio que algumas pessoas não tenham gostado devido ao “harém” em volta do protagonista. Além disso, dizem que os outros os heróis são inúteis e a trilha sonora inexistente. Creio que a proposta do autor seja essa, em mostrar que os demais guerreiros invocados que parecem inicialmente fortes, na verdade, são fracos em comparação ao protagonista. As garotas que fazem parte do grupo do Naofumi eu não considero um harém de verdade, porque algumas delas não possuem sentimentos amorosos pelo protagonista da história. 

Por outro lado, a única coisa que devo concordar é a trilha sonora horrível que poderia ser substituída qualquer soundtrack gratuita do Youtube. O que acabei de exemplificar foi que as pessoas podem ter diversas opiniões sobre o mesmo anime para julgá-lo sendo uma obra boa ou não.

Sendo honesto com vocês, considero esses animes bacanas mesmo havendo defeitos que podem ser vistos facilmente.  Os protagonistas desses animes são carismáticos e mostram ter uma personalidade forte que o move. E por fim, o que acho mais legal em um isekai é quando ele mostra o outro mundo com mais detalhes; aliando a adaptação do personagem no contexto.

Espero que tenham gostado do artigo e deixe nos comentários a sua opinião a respeito do subgênero isekai.

David Gutierres

Sou estudante de Pós Graduação, 24 anos, programador e amante da cultura japonesa. Formado em Tecnólogo em Sistemas para Internet. Animes que eu indico: Suzumiya Haruhi no Yuuutsu, Major e Fate/stay night: Unlimited Blade Works.

Posts Relacionados