The Promised Neverland #EP03 ⌈Análise Semanal⌋

The Promised Neverland #EP03 ⌈Análise Semanal⌋

Ainda não viu a análise do episódio anterior? Então clique aqui para ser direcionado à página de análises de The Promised Neverland

Apresentação do Episódio

©The Promised Neverland / Cloverworks

Com estes três episódios apresentados até então, chegamos ao fim de 1/4 da série, pois é. Rápido, não? Mais rápido que essas semanas, está sendo a adaptação do mangá para o anime. De uma forma isso até me preocupa já que Neverland é carregado de informações no qual não podem e não devem ser deixadas de fora, cada momento é importante para o enredo, já que se trata muito de uma obra onde a estratégia e planejamento toma a frente do enredo. O meu medo é que a Cloverworks não consiga fazer uma adaptação a altura do primeiro arco do mangá e que acabe sendo levado tudo pelas coxas. Contudo é muito cedo para tentar dar uma de mãe Diná, desta forma vamos para a análise

Irmã Krone – Uma faca de dois gumes

O orfanato Grace Field House recebe a Sister Krone (Irmã Krone), uma adulta a pedido da Mãe Isabella para que auxilie na vigilância das crianças. O motivo é bem claro para ambos os lados, tanto para o lado de Emma e os garotos quanto para o lado da Isabella. Sem nem prolongar, a Mama revela para a Irmã que algumas crianças descobriram sobre o segredo da plantação, mas que tudo está sob os devidos controles. A irmã Krone pergunta se ela não reportará desse incidente catastrófico, aos superiores. A mesma responde que isso não será necessário.

©The Promised Neverland / Cloverworks

Horas mais tarde, Isabella está conversando pelo computador com a Grandma (Vovó), no qual aparenta estar sob um cargo maior que os das Mães. a Grandma ressalta que queria as boas safras da fazenda Grace Field para este ano, já que as demais fazendas não tiveram bons resultados. A Mãe Isabella é a mais nova consagrada com o título de “mãe” e também a maior produtora de bens de alta qualidade dentre todos os centros de plantações dessas fazendas espalhadas pelo mundo.

©The Promised Neverland / Cloverworks

O fato da Sister Krone ter entrado nesta fazenda pode acabar sendo um Joker (ou no caso, um trunfo e uma carta surpresa). Uma das maiores de sua ambição é um dia poder se tornar uma Mama de alguma fazenda, e porque não passando a perna em alguém que está bem do lado de você mesma, não é?

©The Promised Neverland / Cloverworks

O plano começa a ser formado

Emma descobre que o rastreador implantado nas crianças se dá atrás de suas orelhas, contudo essa marca some rapidamente sem deixar vestígios. E agora, junto de Norman e Ray, ela terá que pensar em uma solução para quebrar ou danificar o sistema desses rastreadores para que a fuga possa ser completada. Afinal, do que adianta fugir se eles continuarão sabendo da sua posição? Desta forma, eles decidem que só podem danificar o aparelho no dia da fuga, por precaução, caso o mesmo acabe por disparar algum alarme e todo plano vá por água abaixo.

©The Promised Neverland / Cloverworks

Tirando o plano do papel para a ação, cada um dos 3 teriam funções bem definidas para o preparo da fuga das demais crianças. Em uma simples atividade diária de pega-pega, Emma iria preparar o físico deles para manter o fôlego e a correr durante a fuga. Norman cuidaria da parte mental, a fazê-los aprender usar a cabeça durante a fuga. O caso do Ray não é muito diferente do Norman, mas o dele se dá mais pelo ponto da improvisação; se algo ocorrer fora dos planos, as crianças tem de estar preparadas para poder pensar por si mesmo em como reverter a situação.

©The Promised Neverland / Cloverworks

©The Promised Neverland / Cloverworks

Por fim a Sister Krone perde no seu próprio desafio, para o Norman e Ray. O tempo limite havia chegado e ela não teria conseguido pegar os dois. Isso mostra a diferença de uma criança normal para uma criança de elite como eles.

Conclusão

Outro ponto que ficou bem evidente é sobre as fraquezas dos nossos 3 protagonistas, algo que eu já havia citado na análise anterior. Embora que isso seja visto como uma fraqueza pelo lado da Krone, isso ainda pode vir a se reverter para uma vantagem, as vezes é só saber usar ao seu favor. Em uma adaptação meio acelerada , que provavelmente estejam querendo dar mais atenção para o ponto crítico do arco, fico na espera de que a Cloverworks não meta os pés pela cabeça assim como na maioria de suas produções.

Nota do Episódio: 3/5

Henry(Vulpixs) Yamaguchi

Fundador e CEO do Animystic. Moro no Japão desde pequeno até então, sou trabalhador diurno e editor de podcast nos períodos da noite. Amante de animes com boa história, literatura e tudo que envolva mitologia

Posts Relacionados