Anime & Ciência – A ciência dos Evangelions

Olá! Aqui é o Bruno (mais conhecido como D.A. – Doctor Anime) e hoje convido você a pensar um pouco sobre anime & ciência, e a ciência dos Evangelions em Neo Genesis Evangelion em um só post 🙂 

Apesar de não ser só a Tese de um Anjo Cruel (quem pegou a referência pegou, rs), Neo Genesis Evangelion tem uma boa dose de ciência em sua obra. Tendo Yoshiyuki Sadamoto e Hideaki Anno como autores, Evangelion aborda um futuro apocalíptico com questionamentos e reflexões muito fortes.

"Entre no maldito robô Shinji!"

© Knowyourmeme

Dentro da obra, um órgão chamado NERV desenvolve robôs para enfrentarem seres espaciais chamados de Anjos. Esses robôs são chamados de Unidades EVA (Evangelion) e possuem características especiais para o combate desses inimigos extraterrestres.

Mas como funcionam esses robôs ?

Anatomia de um EVA

© Revista Superinteressante

Mesmo tendo o design de seres mecânicos e receberem pilotos humanos, os EVA não são inteiramente de metal e ferro, eles possuem uma parte biológica muito rica e cheia de inteligência, o que foi uma feliz escolha do autor.

Derivados de algumas células clonadas, os Evangelions possuem sua forma, ou melhor, sua estrutura de sustentação (como a coluna vertebral) feita de metal e componentes eletrônicos que permitem interação entre essa entidade e controles por parte dos humanos.

Desenvolvidos como unidades de combate, essas entidades são equipadas com armas e armadura de metal reforçado, todavia, sua parte biológica também contribui com uma capacidade muscular, fazendo com que os movimentos não sejam algo totalmente mecânico e lento, os movimentos dos EVA tornam-se fluidos e rápidos por causa dessa parte viva que há neles. 

Mas como essa parte viva é gerada?

Evitando dar spoilers, não vou falar sobre a origem, mas sim sobre como é possível ser feita! Já é de conhecimento amplo dentro da bioengenharia o processo de clonagem de células, nós já conseguimos alterar bactérias, clonar seres simples e até conseguimos clonar uma ovelinha, a Dolly!

Processo de Clonagem da ovelha Dolly

© PlanetaBiologia

Mas, por razões éticas, a clonagem humana é um tabu dentro da ciência genética, desse modo, Evangelion é interessante por propor uma sociedade em que há a quebra desse tabu. Já que as células desses robôs são muito similares às humanas, podemos propor duas hipóteses:

Ou são geradas a partir de uma célula tronco, processo comum hoje (principalmente em pesquisa) em que desenvolvemos células específicas a partir do potencial de tornar-se vários outros tipos celulares. Ou, de fato, Yoshiyuki Sadamoto quis propor, em parte, o que aconteceria se caso ousássemos quebrar esse tabu da ciência genética.

Ok, e como um Evangelion funciona ?

De forma bem similar ao corpo humano, os EVA tem uma estrutura de sustentação, no nosso caso é o esqueleto, que é feito principalmente de ossos, mas, nesses ciborgues, seria um esqueleto metálico, que dá a forma ao ser. Além disso, a armadura externa é quem consegue limitar o crescimento das células musculares do robozão, impedindo que vire algo disforme de carne e não consiga cumprir sua função de batalha.

Um ponto muito importante de analisar é a parte neurológica dessas unidades. Se você pensar que as células são próximas as humanas, é de se imaginar que os EVA tenham neurônios certo? Então como é que ele é controlável?

Bom, existem várias doenças genéticas que ocorrem naturalmente nos seres humanos e geram deficiências cognitivas durante a formação de uma pessoa, da mesma forma sabemos que isso também é possível através do uso de drogas durante o processo de formação do ser vivo. 

Assim, não é estranho de se imaginar que durante a reprodução da parte “viva”, ele receba várias drogas que limitem esse crescimento.

Não só isso, na obra é mostrado que eles são conectados em cabos e alimentadores que devem, além de fornecer energia para a parte elétrica do EVA, nutrir suas células e fomentar esse processo de inibição da sua inteligência.

Preparação do EVA

© Neon Genesis Evangelion, GAINAX studio.

Todavia, durante os episódios é mostrado que as unidades possuem sim uma inteligência própria, tanto que o processo de teste dos pilotos com aquelas unidades é chamado de “Sincronia”, em que se testa se as ondas cerebrais do piloto podem ter ressonância com a do EVA.

Os Evangelions não possuem uma consciência, possuem instintos, e seu desenvolvimento é constantemente interrompido pela intervenção humana. Essa junção é o que os torna tão eficientes em suas funções.

Plug de energia do EVA

© Revista Superinteressante

O que é, então, a ciência dos Evangelions ?

Replicação celular, Neurologia, Tecnologia de combate, somados são o cerne que torna os Evangelions coisas únicas, não só sobre o ponto de vista científico, como do ponto artístico e filosófico, tornado Neon Genesis Evangelion uma obra digna de destaque.

Entender essas entidades é tema para se discutir por um longo tempo e até tema de estudos. Porém, o mais interessante é o debate que esse elemento ficcional trás para pensar, tanto no campo da ciência como no dos animes.

Obrigado pelo tempo e espaço de leitura, referências e complementações estão logo abaixo, até o próximo post!

Aproveitando, gosta de pokémon? Teve aquela aula de seleção natural e não entendeu nada? Dê uma olhada na Evolução das espécies segundo Pokémon.

Referências:

Bruno Rezende

Estudante, 23 anos, curioso e leitor assíduo. Apaixonado por animes, e sempre afim de aprender.
Follow Me:

Posts Relacionados