Anime & Ciência — O quão longe estamos da tecnologia de Alicization?

alicization

Olá, meu nome é Bruno, também conhecido como DoctorAnime, e vim te convidar para pensar um pouco sobre Anime e Ciência em um só post 🙂

Talvez você já tenha visto algum anime de ambientação em um jogo online ou coisa assim em que os jogadores ficam presos naquele mundo por algum motivo, exemplos clássicos são: Log Horizon, .Hack//, e Sword Art Online.

Agora, se formos pensar especificamente em Sword Art Online, na sua última temporada, um novo modo de interagir com esse “mundo virtual” é apresentado, um novo conceito e uma nova lógica. Alicization. O nome que envolve todo esse mistério. Todavia, o quão, cientificamente falando, esse plot está certo? E o quão longe nossa tecnologia está de chegar nesse ponto? É sobre isso que vamos falar.

alicization

 

Na animação/novel Sword Art Online: Alicization, de Reiki Kawahara e estúdio A-1 pictures, é apresentado aos telespectadores o conceito de Fluctlight.

 

Fluctlight seria, segundo a obra, uma partícula quântica que contém parte da consciência humana e que estaria localizada dentro das nossas células neurais. 

 

Esse conceito baseia-se na teoria da Dinâmica Quântica Cerebral, descrita primeiramente pelos cientistas L.M. Ricciardi e H.Umezawa. Essa teoria explica que nosso cérebro pode ser explicado de acordo com a mecânica quântica, nossas memórias e consciência seriam frutos dessas interações a nível subatômico. Mas antes, para facilitar, vamos descobrir um pouco sobre a ciência quântica.

 

A mecânica quântica faz parte da Física Moderna e tenta explicar o mundo através da visão subatômica, em escala menor que os próprios prótons, nêutrons e elétrons. Cientistas como Planck, Bohr, Eistein, Broglie, entre outros foram os responsáveis por montar os alicerces desse campo de estudo. Nessa teoria, toda matéria pode comportar-se como partícula ou onda, chamada de dualidade partícula-onda,  e desse modo pode ser analisada segundo uma visão de energia e não de massa. 

 

 

Desse modo, toda interação entre nossos neurônios pode ser lida como mudanças de energias, com efeitos de ressonância ou dissonância( ou seja, quando uma partícula está em nível de energia igual a outra, ou em nível diferente, resultando que vibrem na mesma frequência). Então, os fluctlight seriam exatamente essas variações quânticas causada pelos nossos pensamentos, formação de memória e outros. 

 

        Ok, mas seria possível construir isso no mundo real?

 

Primeiro precisamos entender quais seriam as dificuldades de construir uma máquina assim. Na obra é construída uma máquina capaz de ler e sobrescrever os fluctlight, chamada de Soul Translator. Então, como que poderíamos pensar em como ler e escrever memórias, já que elas são frutos, ou pelo menos interagem, com nossa consciência?

 

alicization

 

Mais importante, o que é nossa consciência? 

Existem diversas respostas para isso, todavia, alguns cientistas apresentam uma visão mais sistemática sobre isso e usarei essa como referência. 

“Não há um centro específico da consciência, a aparência de unidade, na verdade, é fruto de cada um desses circuitos sendo ativados e expressos em um momento particular.” (Joseph E. LeDoux)

Ao falar de circuitos, LeDoux refere-se à rede neural que possuímos, portanto, se formos pensar em quântica, seria cada um desses fluctlights interagindo em certos instantes. Uma máquina capaz de ler e transformar em imagem as variações quânticas nos nossos cérebros a cada instante, capaz de monitorar e alterá-los em velocidade próxima a da luz, esse é o desafio de se chegar próximo à Alicization.

 

Hoje temos máquinas capaz de fazer isso ?

 

Para o desapontamento de muitos ansiosos por um mundo como os da obra (estou incluso), infelizmente, hoje, não temos tecnologia suficiente para isso. Boa parte porque nos cálculos quânticos tudo é feito com probabilidades, e em termos de computação, os computadores não quânticos usam o formato binário, ou seja, os pixels que compõem esse texto que você está lendo são nada mais que sequências de “0” ou “1”. Agora na quântica, não necessariamente é um dos dois, pode ser algo entre eles, como “0,12”, “0,133”, ou seja, praticamente infinitos números decimais entre o estado 0 ou 1.

Atualmente já existem os chamados computadores quânticos, poderosas máquinas capazes de operar cálculos bem sofisticados e que levariam anos para que os computadores convencionais fizessem. Mas uma máquina que precise operar probabilidades com rapidez próxima a da luz, considerando essas probabilidades tão vastas? Não temos algo assim.  

 Se pensarmos nos nossos neurônios, eles poderiam estar em um estado de energia entre o 0 ou 1, portanto a máquina teria que testar várias possibilidades até chegar na certa, praticamente imediatamente, o que demanda vários núcleos independente e consequentemente tecnologias que hoje não temos. 

 

E o que isso tem a ver com o projeto Alicization?

 

Em SAO( Sword Art Online), Alicization é um projeto voltado para a criação de uma Inteligência Artificial totalmente autônoma, que possa aprender sozinha, e evoluir similar a uma pessoa. Construir isso do zero a partir de modos tradicionais seria algo complicado, por isso, certos personagens da obra pensam que seria interessante copiar o fluctlight de uma pessoa, replicá-lo, e deixar com que evolua, ao ponto de que se torne uma IA próxima a de uma pessoa humana.

Com a teoria do QBD(Dinâmica quântica cerebral) somada a essa máquina quântica tão avançada, seria totalmente possível. Hoje, temos computadores como o Sycamore(o mais poderoso até então) que conseguem fazer alguns cálculos avançados mas fazem somente comandos simples, assim ler e sobrescrever memórias seria algo bem no futuro. 

Obrigado pelo seu tempo, atenção e espaço de leitura no seu dia-a-dia.

Até o próximo post!

Referências:

Bruno Rezende

Estudante, 23 anos, curioso e leitor assíduo. Apaixonado por animes, e sempre afim de aprender.
Follow Me:

Posts Relacionados