As Reinvenções e as Referências de Kabukichou Sherlock

Oi, eu sou o Bruno e sou mesmo fã da literatura policial e das adaptações de Sherlock Holmes. Quando vi Kabukichou Sherlock, sabia que não podia ficar sem falar dessa obra. Bora?

© Kabukichou Sherlock – Production I.G

Kabukichou Sherlock é um anime original, que estreou em 2019. O projeto busca usar o clássico detetive Sherlock Holmes e mais personagens do escritor Sir Arthur Conan Doyle.

A obra é uma produção do estúdio Production I.G, planejada para ter 25 episódios.

Animes de mistério e que homenageiam o clássico “detetive particular” britânico não são exatamente novidade. Dessa vez em Kabukichou Sherlock, temos os personagens trazidos para os dias de hoje, em uma Tóquio que sofre com os assassinatos de Jack, o Estripador.

Dessa forma, além dos personagens clássicos do escritor inglês, se vê presente a inserção dessa figura que é o serial killer histórico, além do próprio micro verso retratado em Kabukicho Leste, em referência a “Leste de Londres” onde vários crimes ocorriam no final do século XIX.

Não se preocupe quanto a spoilers, pois para esse artigo será utilizado apenas o primeiro episódio do anime.

© Kabukichou Sherlock – Production I.G

Vamos as referências?

Lestrade, Sra Hudson e a Ambientação!

As histórias do Dr. Watson e o brilhante Sherlock, foram influenciadas pelo período histórico que Londres passava na época. Talvez pelo século XIX ser um período tão conturbado, repleto de violência e crimes, as histórias de detetive fizeram tanto sucesso.

Todavia o que se pode afirmar realmente é que assim como o 221B da Baker Street, nesse anime a rua 221 de Kabuchiko é o lar dos detetives que são contratados para solucionar os casos que Lestrade e a polícia não conseguem dar fim.

© Kabukichou Sherlock – Production I.G

A animação começa a pintar essa parte da cidade como um lugar complicado e caótico, mas eventualmente o lugar certo para esses detetives trazerem justiça a certos crimes. Todo esse trecho inicial no anime é construído a fim de homenagear a obra de origem e referenciar como já mencionado esse período da história da Inglaterra.

Lestrade, o investigador da policia, é comumente representado de maneira a ser quase um alívio cômico, e aqui não é diferente. O mesmo se mostra um inspetor um tanto rabugento, que usa uma peruca bem evidente. No original, ele é sempre provocado por Sherlock, devido a ineficácia de sua força policial. Do mesmo modo, a alusão aos contos é bem realizada no anime.

© Kabukichou Sherlock – Production I.G

O apartamento que era a casa dos dois protagonistas dos contos e romances, vira um bar chamado Pipe Cat, que é de propriedade de uma senhora Hudson bem diferente de qualquer adaptação já feita. Em contraste com outras versões, dessa vez ela é a responsável por praticamente gerenciar os detetives.

221B Baker Street – Foto da Internete

Por conseguinte, se faz necessário mencionar a escolha de criarem um personagem transgênero para ser a srª Hudson. Claro que não deixa de ter problemas, afinal ainda se carrega muito preconceito e o personagem acaba virando um alívio cômico com conotação sexual.

© Kabukichou Sherlock – Production I.G

Mas, ainda se pode ressaltar como ela é quem incita uma espécie de competição, sobre quem conseguiria solucionar o caso primeiro. Essa visão por si só é uma reinvenção interessante e divertida, que traz um elemento quase lúdico, a uma história que fala sobre assassinatos.

Ademais,

Existe ainda um aceno a elementos mais clássicos, como os meninos de rua, ou a própria retratação de Londres, nas revistas da época.

As histórias foram publicadas originalmente em 1887 e muito disseminadas na Strand Magazine. Essa revista britânica serviu de veículo para autores como Agatha Christie, Conan Doyle, entre outros.

Capa da Strand Magazine – Wikipédia

Um Sherlock Nunca Visto!

Claro que o grande destaque fica para o investigador mundialmente conhecido, contudo essa é uma versão bem única do personagem. Posto que temos um quase tímido e pouco expressivo Holmes no início do episódio, todavia logo que o fim se aproxima percebemos que ele é (ou tenta ser) um Rakugoka. E usa dessa forma de entretenimento para “revelar” a dedução por trás da resolução do crime.

Rakugo, é uma forma de arte/entretenimento clássica japonesa, que se baseia em um monólogo interpretado pelo rakugoka que precisa cativar o público contando uma história. Muitas vezes em tom satírico e claro bem humorado. O mesmo acaba por fazer diferentes vozes na história, o que é percebido na cena mostrada no anime.

Esse Sherlock realmente é uma união do perfil mais tradicional criado em 1887 com um elemento novo, que traz carisma e oferece identificação com a cultura em que ele é situado agora. Em outras palavras, é uma homenagem dupla, já que o momento da explanação do mistério é o grande auge das histórias e no anime ele ganha o destaque, sem esquecer desse lado que entretêm o público.

Vale mencionar ainda, que o crime na animação é uma releitura do caso em Um Estudo em Vermelho, o romance em que conhecemos Sherlock através dos olhos de Dr. Watson. E para aqueles que já viram outras adaptações desse caso, como o “Um Estudo em Rosa” feito pela BBC na série de 2010, é interessante ver onde os elementos principais foram utilizados e o que foi recriado.

© Sherlock – BBC

Jack, o Estripador

Livro – Editora Record

Apesar de hoje existirem obras que imaginam o confronto entre o serial killer e o detetive mais famoso da cultura britânica; esses dois não se encontraram nas histórias originais. Ao mesmo tempo que os dois são atualmente parte do folclore e da história da Inglaterra, um nasceu na ficção enquanto o outro foi incorporado por ela.

Magazine illustration of the discovery of one of Jack the Ripper’s victims. Illustration: Museum in Docklands

O assassino que marcou a história e ainda hoje gera manchetes, acaba por representar esse período do fim do século XIX e a constante violência, que acabou impune, no Leste de Londres. Como resultado, os atos cometidos geraram impacto tanto na realidade como na ficção, de tal forma que várias histórias foram criadas tendo ele como personagem central.

Matéria da BBC News

No anime o principal terror do Leste de Kabukicho, é esse assassino serial que não é capturado nunca, e nem mesmo pessoas próximas a autoridades e de status social, estão a salvo. Assim como em ficções literárias recentes, teremos no anime o embate entre esse personagem e Sherlock.

Então…

Em síntese, é muito interessante ver o quanto do material original foi mantido. E o quanto foi completamente “distorcido” no bom sentido, para criar essa nova obra. Sejam elementos novos e condizentes com nossa realidade, ou alusões a tradições antigas e elementos históricos, é muito interessante enxergar novas ideias na ficção policial.

Só para ilustrar a constante tentativa de recriar e reinventar, fica o exemplo de No Guns Life, que acompanha um detetive particular que tem uma arma no lugar da cabeça e abusa de elementos do Hard Boiled em sua história, Confira mais no artigo aqui no site.

Conforme já mencionado, o gênero da ficção policial se tornou muito rico, existem muitos produtos que daí derivam. Sejam em adaptações ou novas histórias em diferentes mídias, fica claro o quanto o gênero permite o surgimento de novos elementos muito criativos e cativantes.

© Kabukichou Sherlock – Production I.G

Espero que se interesse em assistir o anime e conhecer a obra original. Certamente, fico devendo voltar pra falar de outros elementos dessa animação quando terminar de assistir tudo.

© Kabukichou Sherlock – Production I.G

See You Later Elevator

Posts Relacionados