Pokémon (2019) – O que falar depois de 5 episódios?

5 episódios se passaram desde o começo do novo anime de Pokémon e já dá pra falar um pouco mais sobre a abordagem da nova aventura de Ash. Pouco tempo atrás eu escrevi um texto que falava não só sobre o primeiro episódio, mas também sobre as mudanças radicais que o anime sofreu no começo de Sun/Moon, tais como a mudança no design e até mesmo no horário de exibição na televisão japonesa. Hoje, o meu foco será totalmente na nova saga do anime, especificamente sobre esses 4 últimos episódios.

Nova Fórmula e Elementos

Com o passar dos anos pokémon foi repetindo praticamente a mesma fórmula em todas as temporadas do anime. O roteiro era praticamente o mesmo, Ash começando sua jornada pela região mais recente, conhecendo seus companheiros e depois partindo partindo para as batalhas de ginásio, para que no final, pudesse seguir à liga pokemon. Agora, o anime Pocket Monstes finalmente quebrou essa fórmula repetida e implementou novos elementos narrativos.

OLM Studio©/Pokemon Company©

A apresentação da Raid no anime foi bem tímida, mas bem feita. Ela não era o foco total do episódio, mas a cena em que vários treinadores tentam derrotar Lugia foi extremamente bem feita em vários sentidos. O storyboard foi acima da média, a câmera acompanhando frenquentemente Lugia em vários ângulos diferentes dava tanto a sensação de velocidade, quanto a sensação de que ele realmente estava sendo cercado por vários pokémons diferentes. Toda essa demonstração rápida de poder e destaque deixou bem claro o que a direção queria passar: Lugia é muito forte. O objetivo desse episódio era estreitar a relação de Ash e Go através de uma paixão em comum: Os pokémon e todo seu mundo. Lugia serve como catalisador para mostrar a Ash e Go, a grandeza do mundo pokémon na terra, ar e no mar em uma sequência de cenas muito bonitas. A maneira como eles conseguiram ligar um novo elemento dos jogos (Raid) com o plot principal do episódio, foi incrível.

OLM Studio©/Pokemon Company©

A franquia precisava urgentemente ficar ainda mais próximo das crianças japonesas e o novo método funciona de forma quase que perfeita pra isso. Apresentar pra crianças que não tem tanto conhecimento da geração passada, pokémon de todas as gerações é uma sacada muito boa. Ash e Go viajando o mundo e conhecendo todos os tipos de monstrinhos de todas as regiões possíveis chama o público não só pra geração mais atual, mas para as antigas também. Além de que toda essa ideia de poder se locomover entre as regiões abre um grande leque de possibilidades para os roteiristas utilizarem várias coisas de todas as gerações diferentes, sem ficar preso a filosofia de geração atual ou de batalhas de ginásio.

OLM Studio©/Pokemon Company©

Finalmente chegou o momento deles saírem de Kanto e partirem para Galar. Eu estava bastante ansioso para esses episódios em específico porque era a chance da franquia mostrar mais da nova região dentro do anime. O episódio não foi o meu favorito porque não mostrou muito sobre a wild area, que é uma das partes mais importantes do novo jogo, mas a forma como mais uma vez eles usaram os novos elementos para desenvolver a relação entre os personagens (Dessa vez com Go e Scorbunny) foi o ponto alto do episódio. Na conta final, eles conseguiram mostrar a Wild Area e a Gigantamax do Snorlax ,e utilizaram isso como fator principal para o desenvolvimento de Go e de seu novo parceiro.

OLM Studio©/Pokemon Company©

E já que citamos o novo companheiro de aventura de Ash, acho que chegou a hora de darmos destaque ao Go.  Eu realmente acho que ele tem potencial para se tornar o melhor co-protagonista que o anime já teve, a química dele com o Ash vem sendo o ponto alto dos episódios. Precisou apenas de 5 episódios para os dois parecerem que são amigos de longa data. Apesar de terem personalidades e gostos até semelhantes, eles ainda assim são bem diferentes. Go é mais centrado e fica na cara que todo conhecimento dele é com base no teórico que ele foi aprendendo com o passar dos anos, enquanto que Ash é alguém que adquiriu conhecimento através da prática. Por enquanto, Go vem sendo desenvolvido muito bem e eu espero que ele continue a receber bastante espaço.

Possibilidades para o futuro do anime

Acho que ainda não é hora pra franquia desistir de vez dos ginásios. Em Galar, os ginásios se tornaram grandes estádios bem semelhantes aos que estamos acostumados a ver no campeonato inglês de futebol, e ainda contam com uma enorme torcida que lotam para ver as batalhas entre desafiantes e líderes. Por essa razão, eu ainda acho que eles ainda vão mostrar mais dos ginásios em um futuro retorno de Ash e Go para a mais nova região da franquia.  Talvez eles estejam guardando isso para um arco futuro no anime, então quem sabe daqui uns 40 episódios eles não introduzem isso pra gente?

OLM Studio©/Pokemon Company©

Um anime que se baseia em várias regiões também abre o espaço para os roteiristas brincarem com o coração do público velha guarda. Com Ash indo em regiões onde já esteve presente, eles bem que poderiam colocar algumas referências das temporadas passadas, né? Personagens que apareceram anteriormente poderiam voltar nem que sejam para uma participação especial. Apesar de ter cara, essa temporada não é um reboot, então o que aconteceu no passado ainda está valendo! Mostrar os concursos pokémon de Hoenn ou Sinnoh ou até mesmo um líder de ginásio seria algo que com certeza agradaria a maior parte do público. Em Sun/Moon eles trouxeram de volta Brock e Misty, então não tem porque não sonhar com um possível retorno de outro personagem antigo.

OLM Studio©/Pokemon Company©

Conclusão

Acho que ficou bem claro que essa nova temporada é algo que vale a pena dar uma chance. Talvez os fãs mais velha guarda se incomodem com o design, porém a história até o momento vem compensando bastante, eu particularmente achei o começo mais animador que o de Sun/Moon, que demorou bastante pra engrenar. Talvez a única coisa que incomode é a falta de presença da equipe Rocket. Para falar a verdade, eu sinto como se a cada temporada eles estivessem dando bem menos tempo para eles aparecerem.

OLM Studio©/Pokemon Company©

Na minha opinião final, eu acredito que a nova animação é algo que vale a pena de se ver, creio que ainda poderemos esperar ainda mais do anime de agora em diante. Fica a minha recomendação para todos os leitores. Valeu por tudo, e até o próximo texto.

Pedro Guarani

Tenho 23 anos de idade, sou apaixonado pela parte técnica da animação japonesa. Escrevo sobre animação, enquanto tento engolir o fato de que meu melhor amigo me trocou pela namorada.

Posts Relacionados