Saint Seiya: Saintia Sho #EP03 ⌈Análise Semanal⌋

Saint Seiya: Saintia Sho #EP03 ⌈Análise Semanal⌋

Ainda não viu a análise dos episódios anteriores? Então clique aqui para ser direcionado a página de análises de Santia Sho

Apresentação do episódio

Você já sentiu o espírito natalino? Opa! Quero dizer; o cosmo?

É natal minha gente e felizmente temos o terceiro episódio de SAINTIA SHO.

Primeira metade

Lembram que eu citei algo sobre os Fantasmas? Então, nesse episódio tivemos um pouco mais do mistério sobre eles e dessa vez um tal de Rigel apareceu e ao que tudo indica o Boo – referência ao fantasma do jogo Super Mario Bros. 3 – tem uma quedinha pela Kyoko, a irmã da nossa protagonista.

©Toei Animation/ Saint Seiya: Saintia Sho

A dúvida. Rigel também vendeu a alma para a Deusa Maligna Éris? Eu quero vender a minha, será que ela paga bem? Bem, brincadeiras a parte, sabemos que isso é uma forte referência ao filme SAINT SEIYA: O Santo Guerreiro. Nossa Ren! Tu só cita esse filme. É porque é bom gente. Desculpa.

E finalmente as Dríades aparecem. Algo que eu fiquei pensando enquanto assistia: As Dríades possuem força semelhante aos Cavaleiros de Prata ou superior?

©Toei Animation/ Saint Seiya: Saintia Sho

Outro ponto interessante foi a Grande Árvore – remissão a árvore do fruto proibido – semelhante a um útero, no qual guarda o corpo da hospedeira da Deusa Éris. Cristianismo.

©Toei Animation/ Saint Seiya: Saintia Sho

Em seguida tem outros elementos que eu tenho que questionar e frisar, como o treinamento de Shoko que se baseia em quebrar uma gigantesca pedra. Isso me faz pensar que os Cavaleiros tendem a ter esse teste como o principio de tudo. É, servente de pedreiro não é fácil não.

Concentrar o cosmo e explodir os átomos? Sentir o universo dentro de si? Big Bang? É, a ideia central é a mesma e rola até um comentário sobre as armaduras serem chamadas de Caixa de Pandora.

©Toei Animation/ Saint Seiya: Saintia Sho

Fora do campo das explicações dessa primeira parte do anime, vale ressaltar novamente as Dríades; Emony e o ursinho de pelúcia Mick e Phonos, não somente isso, como também o nome das vestes que as filhas e filhos de Éris trajam: As chamadas Folhas.

Segunda metade

A segunda parte se resume a esses pontos: O derradeiro momento tão conhecido entre os fãs de SAINT SEIYA, o despertar do cosmo e da armadura numa situação crítica – Seiya que nos diga – e o famoso – golpe de sorte – que derrota o inimigo.

O único elemento surpresa que tivemos nessa segunda parte foi à entrada de Saori numa batalha ao lado de Shoko, ela defendeu a nossa protagonista e em seguida harmonizou o cosmo junto à Saintia. Está fazendo mais que na série homônima.

©Toei Animation/ Saint Seiya: Saintia Sho

Eu havia comentando logo no inicio que a série fazia remissão a pontos do cristianismo. Acertei Miserávi.

Dúvida. O que o Grande Mestre quer saber sobre as atividades da Deusa Éris? E Milo? Quer se redimir só agora?

Conclusão

O desfecho desse episódio não me chamou tanto a atenção, mas trouxe alguns dotes que só quem é fã vai lembrar ou sentir a nostalgia. Fluiu bem, mas pecou nas batalhas. Gente! Cadê a emoção? Cadê um meteoro de Pégaso? Okay. Exagerei.

Minha nota ainda se mantém no 4. Esqueci de dizer: O encerramento é bom.

Nota do episódio: 4/5

Imagens Extras

 

Vinicius Raphael

Bibliófilo praticante de camping, trilha e entusiasta de Teatro e Circo. Fã de Akira Toryama, Osamu Tezuka, Masami Kurumuda, Haruki Murakami, Bob Dylan e Hayao Miyazaki. Animes que eu indico: Natsume Yuujinchou, Kino’s Journey – The Beautiful World e às animações do Studio Ghibli.

Posts Relacionados