Seishun Buta Yarou wa Bunny Girl Senpai #EP13 ⌈Análise Semanal⌋ (Final)

Seishun Buta Yarou wa Bunny Girl Senpai #EP13 ⌈Análise Semanal⌋ (Final)
Kaede Quest [03]

Ainda não viu a análise dos episódios anteriores? Então clique aqui para ser direcionado à página de análises de Seishun Buta Yarou wa Bunny Girl Senpai no Yume wo Minai

Apresentação do Episódio

Enfim chegamos a última análise de Bunny Girl. Foi uma longa jornada (nem tanto) de 13 semanas, apresentando todos os pontos tratados dentro da trama, assim também impondo a minha opinião sobre o mesmo. A esta altura que chegamos na obra, só nos restou esperar uma bela finalização, já que ela esteve cumprindo todas as suas propostas ditas anteriormente.

Primeira Parte

O começo do episódio é envolvido de cargas dramáticas e confusões protagonizadas pelo Sakuta, no qual se vê em um abismo entre seus pensamentos e decisões em relação a sua irmã Kaede. Para não desabar na frente dela, o protagonista mostra pela primeira vez no anime, um sinal de fraqueza, corre para fora do hospital, em um ato de estar lutando contra a verdade enquanto se derrama em pranto.

Nesse meio tempo, Makinohara Shouko volta a aparecer diante dele — o que é bem estranho, pois ela aparentava estar na mesma idade que ele — os dois retornam á casa de Sakuta e Shouko pega o diário da Kaede, que mesmo em um estado de pura negação do protagonista, a garota insiste em recitar todos os versos descrito no caderno.

No diário podemos ver todos os pensamentos mais profundos da Kaede. Outrora momentos felizes onde foi se descobrindo uma nova vida, já que não lembrava de como era a sua própria; e por outros lados mais pesados, a aceitação de ter que viver sob um corpo que “não tem alma ou sequer uma memória sobre si mesma”.

Após ter sua alma lavada, graças a ajuda de Shouko, nosso protagonista desabafa toda a preocupação de poder ter feito melhor pela causa de sua irmã, que guardava dentro de seu peito — que também era a causa da sua síndrome da puberdade — uma vez que ele havia reconhecido a circunstância e passasse a parar de pensar sobre tudo isso de uma forma negativa, sua síndrome iria embora.

Segunda Parte

Como um fantasma na penumbra da madrugada — não tão literal assim — Makinohara Shouko desaparece novamente, deixando apenas um bilhete que posteriormente, Sakurajima Mai encontraria e ficaria muito triste pela situação de traição. Mas veja bem, não que ela suspeitasse da palavra de seu namorado, mas sim de não ter confiado nela para ficar ao seu lado em um momento tão importante.

A irmã da Mai dá um empurrão de moral no Sakuta para fazê-lo ir atrás dela. Conseguindo alcançar a tempo, os dois tem uma noite romântica, num escape de 15 minutos do serviço de Mai. Era uma noite fria de inverno, com belas neves brancas caindo do morro em que estavam. Para finalizar, claro que um dos melhores casais do ano poderia ter terminado com uma cena de beijo? Poderia, porém não seria do feitio deles. Mesmo sem um beijo, a cena não deixou de ser romântica, com uma apertada na bochecha e uma frase tsundere para finalizar a série.

Conclusão

E daí que não teve a tal cena no final de Bunny Girl? Mesmo sem a cena, o anime cumpriu todas as suas propostas ditas anteriormente pela premissa e nos entregou um roteiro muito acima, que quase nenhum slice-of-life/drama tem a mínima capacidade de enrtegar nos dias de hoje. Além de ter sido um final original – já que a novel continua e ainda sairá o filme adaptando os volumes seguintes- foi algo muito bem construído e que mesmo deixando algumas dúvidas, não deixou furos em sua trama.

Nota do episódio: 5/5

Henry(Vulpixs) Yamaguchi

Fundador e CEO do Animystic. Moro no Japão desde pequeno até então, sou trabalhador diurno e editor de podcast nos períodos da noite. Amante de animes com boa história, literatura e tudo que envolva mitologia

Posts Relacionados