Existe Futuro para os animes de Fantasia e Isekai?

Oi eu sou o Bruno e… Você já reparou que toda temporada de animes estreiam pelo menos 5 animes de fantasia medieval? E outros 6 de isekai?

© Isekai Quartet

Brincadeiras a parte, é verdade que muitas obras começaram a ser produzidas utilizando desse cenário. De certa forma não é nenhuma novidade, mas faz parecer haver uma saturação do tema. Afinal tem desde animes “sérios” que tentam inovar até aqueles que não vão fugir do lugar comum. Mas afinal eles são bons?

2021 é 2020 parte 2.

Um novo ano e uma nova temporada de animes chega. Tivemos várias continuações, que até merecem ser adicionadas à lista do gênero, mas por serem continuações vou manter esses títulos como neutros. Sendo assim, ame ou odeie o anime do Slime, não é dessa vez que vou falar dele.

Algumas obras estão voltando depois de um tempo de “hiato”, Log Horizon sendo o maior exemplo. O Anime não inovou muito em seu cenário ou mitologia, mas conquistou fãs e foi um isekai que sempre agradou os expectadores menos críticos. Re: Zero, por outro lado, ganhou o mundo de maneira que é quase impossível o leitor não ter visto nem sequer um meme que faça referencia ao anime.

©Log Horizon

O anime é, sim, cativante, e merece uma nova temporada e mais histórias com esses personagens. Para quem não assistiu, é uma boa oportunidade para finalmente começar, afinal o hype está criado novamente.

Nomes diferentes, mesma história?

Seres humanos vivem de histórias e, até certo ponto, é difícil inovar depois de tantos anos e produções. Os críticos de cinema vivem falando que os filmes bons foram os antigos e pioneiros e isso leva ao questionamento sobre existir qualidade em obras que estão longe de serem pioneiras.

© Isekai Quartet

Conforme já mencionado, tivemos avalanches de animes de Isekai e Fantasia Medieval. Alguns bons e outros feitos literalmente para cumprir horários e preencher a grade. Todavia eu acredito na força do clichê, eu mesmo já falei bastante sobre clichê e como os plots narrativos em Black Clover foram usados de maneira eficiente, e pensando nos animes lançados em janeiro é possível ver que existe esperança para esse gênero.

O cenário mencionado de Fantasia (medieval), sempre conterá um Reino, floresta de monstros, dungeons perigosas e vilas com seres fantásticos. E o uso desses elementos pode realmente salvar ou condenar uma história.

Eu sempre afirmo que a maturidade do mercado japonês ao ter tantas obras “parecidas” e ainda assim conseguir se manter vivo e criativo é invejável

O Bom, o Mal e o Feio?

Ao assistir Kumo Desu ga, Nani ka?, percebi como uma obra que possui todos os clichês do mundo e o estigma de ser um Isekai, poderia sim se tornar algo incrível. Nessa história, não apenas, temos o fator cômico como também alguns plot twists. Apesar de não fugir de certas regrinhas como ganhar poderes, a obra consegue testar os limites ao deixar a protagonista isolada. O expectador literalmente acaba se apaixonando por uma aranha falando consigo mesma e tendo que sobreviver a um ambiente super hostil.

© Am I a Spider, So What?

Em Tatoeba Last Dungeon Mae no Mura no Shounen ga Joban no Machi de Kurasu Youna Monogatari, o clichê é abraçado e usado para piada. Nesta obra os personagens são cativantes por serem estereótipos e fazerem piada disso. Há uma velha com corpo de “loli” e isso é criticado a exaustão, existe a “tara” por um personagem “puro e inocente”, mas que é na verdade é um garoto nem um pouco indefeso. O humor salva esse anime, literalmente (mesmo com cenas com sugestão de nudez e plots previsíveis). O anime mostra como não se levar a sério pode ser uma saída.

Entretanto, nem tudo são flores, pois ainda existem animes como Ore dake Haireru Kakushi Dungeon. Infelizmente, esse é o exemplo que citei sobre ser um anime feito apenas para saciar vontades. A sugestão de nudez e erotismo de adolescentes é feito descaradamente. Calcinhas, piadas de peitos e personagem sem personalidade são o que se destacam, mas não julgo o anime simplesmente por ele ser assim.

Fez Sentido?

O tópico anterior, citou três animes focando em alguns pontos que podem ser vistos como pontos fortes e fracos. Mesmo depois de tantos anos e tantas obras que abusam de estereótipos e cenários, ainda existe o que ser explorado. Embora não pareça, mesmo que tenhamos milhares de isekai por ano, não tem como julgar as obras só pelo gênero.

Antes de finalizar, vale mencionar que usei a frase “O Bom, o Mal e o Feio” como referencia a um formato do podcast Sofá Verso. Lá eles indicam, com base em um tema, algo que é “Bom”, algo mais ou menos em referencia a “Mal” e algo bem ruinzinho em ligação com o “Feio”. Por outro lado, a frase é também título de um clássico filme de Cowboy. Então não importa qual Easter egg pegar, os créditos estão dados.

See You Later Elevator.

Posts Relacionados