Final Fantasy XIV: Comece sua jornada!

Final Fantasy XIV

Final Fantasy XIV pode parecer intimidador quando olhado de fora, mas sua presença e renome no círculo dos games é incontestável. O jogo é amplamente reverenciando tanto pela história de seu desenvolvimento, que foi uma das maiores voltas por cima da que já vimos (que inclusive rendeu um documentário ótimo sobre). Quanto também por seus sistemas e mecânicas de gameplay, vasta gama de customizações e possibilidades para os players se imergirem no mundo do jogo e principalmente pela narrativa que foi criada na versão 1.0 do jogo em 2010 e continua até hoje.

Com o jogo em sua terceira expansão e centenas de horas de conteúdo apenas na sua campanha principal e inúmeros conteúdos extras inseridos a cada expansão, chega a ser intimidador entrar no jogo pelo investimento pessoal atrelado a isso. Entrar em FFXIV é quase tão intimidador quanto assistir One Piece do episódio 1 até o atual.

MMORPGs

Esse texto é mais uma apresentação de Final Fantasy XIV baseado na minha experiência para pessoas ainda não iniciadas em MMORPGs, como eu mesmo era antes de conhecer o jogo. Não abordarei nenhum spoiler da trama principal do jogo ou das side quests. Palavras não podem descrever o quão forte eu recomendo esse jogo e pretendo falar mais sobre ele no blog futuramente.

Uma experiencia single-player online

Para começar, é bom deixar claro que eu tive pouca experiência com MMORPG, nenhuma delas sendo muito agradável ou duradoura, além disso até conhecer Final Fantasy XIV eu não me considerava um fã da franquia mesmo tendo jogado diversos títulos e até alguns Spin-offs. Era uma franquia familiar à mim e alguns títulos são muito bem quistos, mas não ia além disso.

Final Fantasy XIV começa de cara com uma cutscene em CG de alta qualidade esperada dos jogos da Square Enix. Mostrando a última batalha na guerra entre a aliança de Eorzea contra o império Garleano, a queda da lua menor Dalamud seguido do ataque da besta primordial Bahamut e assim causando a Sétima Calamidade Umbral, marcando a morte da infame versão 1.0 do jogo e abrindo as portas para A Realm Reborn.

Você começa sua jornada como um mero aventureiro chegando em uma das 3 principais Cidades-estados de Eorzea 5 anos após a “sétima calamidade umbral” ter acontecido. Em um mundo onde tanto a aliança de Eorzea e o império Garleano ainda se recuperam do choque causado por Dalamud.

Capa FF XIV

A partir desse ponto o jogador é instruído a continuar as missões da campanha principal, que é o maior e principal atrativo do jogo. A progressão na campanha vai aos poucos desbloqueando tudo que o jogo tem a oferecer desde as diferentes classes de combate e crafting, cada uma com uma linha narrativa própria, passando por conteúdos endgame que são o real atrativo de desafios em gameplay e até a possibilidade de ter sua própria casa e vizinhança dentro do jogo.

FFXIV é absolutamente abarrotado de conteúdo a se fazer em qualquer nicho que você quiser se especializar. Apesar do jogo depender de classes de combate pro avanço da história, esse pode ser o seu trabalho paralelo enquanto você está ocupado vivendo seu sonho de ser um minerador acumulando riquezas vendendo as pedras preciosas que você acha espalhadas pelo mundo e entrar no ramo da especulação imobiliária.

Brincadeiras a parte, o real foco do jogo é te contar uma estória, quatro estórias na verdade. Existe apenas uma linha narrativa que percorre a trama do jogo e cada expansão tem conteúdo suficiente para se sustentar como um Final Fantasy individual

Chega até ser irônico como o nível de qualidade dos jogos da Square Enix tem decaído desde seu tempo áureo com algumas notáveis exceções, mas Final Fantasy XIV que justamente por ser um MMORPG que não precisava focar nisso é, indiscutivelmente, um dos melhores produtos que a empresa tem hoje.

Fray

Cada expansão tem entre 70 e 100 horas apenas das missões da campanha principal. Cada expansão com dezenas de horas de cutscenes dubladas, novas áreas gigantescas, uma trilha sonora inteira especialmente composta para aquela expansão e uma quantidade impressionante de conteúdo extra adicionado através de patches. 

Com isso tudo dito, FFXIV se apresenta ao jogador como se fosse uma experiência single player tanto pela narrativa que não poupa esforços em impressionar o jogador e também por conta dos vários personagens criam fortes laços com o/a Warrior of Light (personagem do jogador). 

Progressão e ritmo da história em FFXIV é algo bem natural e nunca parece que se alonga muito mais que o necessário (sem contar uma notória exceção). Volta e meia o jogo te dá as famosas fetch quests que te fazem lembrar que esse é de fato um MMO, mas o jogo não te mantém nesse estado “ocioso” por muito tempo.

Gameplay e comunidade

Quando é chegada a hora de empunhar armas e encarar um desafio real, o Duty Finder vai te ajudar a se encontrar com outros jogadores. Um sistema de Matchmaking simples e intuitivo, mas que podem apresentar um problema se você joga apenas de DPS e quer fazer um conteúdo mais impopular.

Cada role no time tem seus objetivos claros e isso muda bastante a forma que cada classe vai abordar as batalhas além das “guidelines” que cada role adota para otimizar cada situação apresentada.  Apesar das longas filas para conteúdo, as classes de DPS do jogo tendem a ser as mais difíceis de se jogar de modo otimizado, porém as mais satisfatórias de se mestrar. Tanks são quase como guias de excursão em dungeon, ditando o ritmo e mantendo a situação sob controle. Healers tem como trabalho principal ser a babá do time, garantindo a sobrevivência e caso o time saiba se comportar, eles tem um potencial bem alto de dano também.

FF

São 18 jobs no total entre Tanks, DPS e Healers e o jogo consegue criar dinâmicas bem distintas de gameplay entre elas.

Por exemplo, o job de Dragoon é muito focado em causar dano alto e consistente em alvos únicos e manter ativos os diversos buffs que ele tem acesso. Ninja por outro lado, é um job que cai na mesma categoria do Dragoon, mas já é mais focado em gerenciamento de recursos especiais que culmina em uma janela de tempo onde ele vai poder usar todas as suas habilidades e também no sistema de Ninjutsus que provê ao Ninja diversas ferramentas para todo tipo de situação.

Além disso, todos os jobs podem ser jogados no mesmo personagem, te deixando disponível todas as opções e trocar de classe é tão simples quanto trocar um simples equipamento no seu menu de status. 

Será necessário uma quantidade razoável de dedicação caso você queira ter diversos jobs no nível máximo, mas isso causa mais familiaridade do jogador com as situações, habilidades e mecânicas de cada job.

Fazer o conteúdo das roletas de leveling do jogo além de manter o vasto leque de conteúdo do jogo vivo de certa forma, ainda te recompensa em vários meios diferentes incluindo moedas especiais que podem ser trocadas por equipamentos melhores em NPCs específicos.

Final Fantasy XIV

Inclusive, usar o sistema de matchmaking do jogo nunca foi um problema tanto pela facilidade que ele propõe, quanto pelos jogadores que habitam Eorzea. FFXIV abriga uma comunidade extremamente calorosa e amigável com todos os jogadores desde os grupos de Raids mais hardcore até a inesperadamente grande comunidade de Roleplaying presente nos servidores de FFXIV. 

Se algo inesperado ocorrer durante uma dungeon, pode ter certeza que alguém vai usar o chat para explicar as mecânicas e te incentivar a melhorar enquanto jogador. No momento que escrevo esse texto eu tenho 783 horas de jogo e eu sinceramente não consigo lembrar de nenhuma interação negativa que tive com alguém nesse tempo todo.

Monetizações, mensalidade e demos.

Final Fantasy XIV tem um sistema de negócios um pouco complicado em alguns pontos e controverso em outros. O jogo está disponível no PlayStation 4 e PC, tem crossplay as duas plataformas e recorre a um sistema próprio para gerenciar tanto o crossplay quanto às cobranças monetárias do jogo.

Em tópicos mais controversos, Final Fantasy XIV requer a compra do jogo base, expansão e pagamento de mensalidade para o acesso completo ao seu conteúdo. Isso pode soar muito ruim aos ouvidos de qualquer um ainda mais no estado econômico que se encontra o país, mas existem alguns fatores que te ajudam a fazer a decisão de entrar de cabeça no mundo de Eorzea.

MMORPGs sempre viveram em um “meta game design” onde ele se põe em uma posição que podem ser o seu um único jogo por longos períodos de tempo, tanto que o comum do público de MMO é ser composto de pessoas que acompanham o jogo de perto por anos a fio. 

World of Warcraft e Final Fantasy XI (sim, o outro Final Fantasy MMO) também vivem de sistemas de mensalidade, isso virou a alternativa para esses jogos não terem que recorrer a esquemas de monetização mais agressivos ou que alteram o balanceamento do jogo e no caso de FFXIV dá pra ver claramente que as mensalidades estão sendo convertidas em conteúdo de qualidade e em uma experiência cada vez melhor para os jogadores de todas as esferas, não importa se você se foca no PvP, Crafting, Role Play ou nos conteúdos mais hardcore de PvE.

Vale mencionar que existe monetização além da mensalidade na forma de uma loja virtual completamente desconectada do jogo em um site próprio que provém itens cosméticos e o jogo nunca faz referência direta a essa loja ingame, nem mesmo usa uma moeda fictícia na forma de “Fantasy points” ou algo similar.

Final Fantasy XIV

Há uma demo disponível tanto na Steam quanto na PSN que te permite jogar todo o conteúdo do jogo até o nível 35 com todas as classes sem tempo limite. No update que sairá no dia 11 de Agosto, uma semana após a publicação desse texto, essa demo será atualizada e passará a incluir todo o conteúdo do jogo base, conhecido como A Realm Reborn, assim como todo o conteúdo da primeira expansão do jogo chamada Heavensward e aumentando o nível máximo para 60.

A Realm Reborn e Heavensward combinados dão por volta de 200 horas apenas da campanha principal sem contar a montanha de conteúdo adicionado através de patches que serão incluídos nessa demo (basicamente metade do conteúdo total de graça), sendo Heavensward uma das linhas narrativas responsáveis pela paixão ardente da comunidade pelo jogo e certamente um ponto alto em toda a franquia Final Fantasy.  

E sim, esse texto inteiro foi escrito na esperança de fazer você, leitor, dar uma chance a demo e conhecer em primeira mão esse pequeno universo de maravilhas produzido pela Square-Enix e por Naoki Yoshida, o visionário que transformou um projeto falido no titã que hoje é Final Fantasy XIV.

Follow Me:

Posts Relacionados