Takeru e a Esperança: Uma Conversa Sobre Maturidade

Takeru é uma jovem criança que possui sonhos e desejos, e por ser um potencial em desenvolvimento, rompe com o verdadeiro significado de esperança. Dito isso, hoje vamos tirar um tempo para falar um pouco da Temperança do digiescolhido.

Pra quem não me conhece, eu sou O Paladino! O maior (careca) fã de Tokusatsu do Animystic, intitulado por ninguém e sem honraria nenhuma.

Então se acomoda aí e vem comigo!

Digimon Adventure

A primeira série de Digimon foi produzida em 1999, criada por Akiyoshi Hongo e distribuída pelo estúdio Toei Animation. E chegou nas terras americanas com o nome de Digimon: Digital Monster.

No Brasil foi apresentada pela extinta Férias Animadas, apresentado pela Angélica, com direito a tema de abertura, dancinha e cosplay do “Seu” Madruga.

A série possui um plot comum, mas ainda não muito explorado na época: 07 crianças são levadas a um mundo desconhecido e recebem parceiros para ajuda-los a entender aquele local.

Mais tarde descobrem que fazem parte de um plano maior e agora usam os poderes que possuem para combater a força das trevas e trazer paz ao chamado Digimundo.

Mas apesar de simplista, a série aborda temas interessantes e temáticas profundas. Ressaltando na visão de uma criança a importância de pequenos gestos em relação a grandes mudanças no mundo.

Por outro lado, não desmerece a presença dos adultos. Colocando ambas as realidades em conflito: interno e externo.

Enquanto trabalha na maneira como seus digimons reagem as situações que as crianças passaram em suas vidas.

E aqui cabe o papel dos brasões.

Brasões e Essências

Takeru

©ToeiAnimation

Os brasões são introduzidos a partir do segundo arco da série. Tendo como início todo um desenvolvimento do Tai e seu parceiro Agumon, como detentores da Coragem.

Em suma os brasões deveriam representar a essência de cada personagem em sua forma mais pura.

Assim como pontua Freud, existe uma fase chamada Latência no desenvolvimento da criança.

Onde há a maior expansão do potencial, seja ele intelectual, físico ou social. E Essa fase acontece exatamente entre o período de 6 a 10 anos de idade.

E os brasões vieram justamente na forma de ajudar a canalizar esse potencial infinito criado dentro dos personagens.

Aproveitando (e muito) da experiência de vida de cada um.

Tai é corajoso, Yamato é protetor, Sora é a mãe, Mimi é sincera, Jou é resiliente, Koushirou é sábio e o Takeru possui a temperança.

Apesar de em vários momentos o pequeno Takeru ser representado como alguém que porta a esperança. O conceito de esperança não é um sentimento criado a partir de uma pessoa, mas um sentido de apoio para sustento moral.

E a esperança, contida no jovem Takeru é demonstrada em vários momentos da série. E para quem está se perguntando o que é temperança, é o domínio de suas próprias emoções.

A Esperança de Takeru

Apesar de ser muito apegado a seu irmão mais velho, Yamato, o jovem Takeru sofreu muito cedo um dos mais dolorosos momentos da vida de uma pessoa, a separação dos pais.

Jovem Takeru

©ToeiAnimation

Para uma criança ver o lar se desfazer, e muitas vezes, de maneira desordenada e problemática, pode resultar em diversos danos ao caráter de alguém.

Entretanto, o pequeno, por motivos não explicados, sempre nutriu um sentimento de positividade, mesmo no meio desse turbilhão.

Ainda que a situação o tenha afetado, que é mostrado com a disputa de Patamon e Elecmon para cuidar dos digimons bebês.

E por ser justamente numa batalha de forças, mostra que a separação dos pais mexeu com o jovem digiescolhido.

Mas essa mesma situação forçou dentro dele uma maturidade cognitiva aguçada.

O levando a aprender com a situação e aceita-la, de modo que ele explica para ambos digimons que a disputa não os levaria a lugar algum.

Esse mesmo traço de sentimento de superação pode ser observado em outros momentos da série. Quando o desespero parece abater as outras crianças, Takeru, que é o mais novo, sempre se mostra resoluto.

Desse modo, tendo que aprender a dominar seus medos e sentimentos, o ainda jovem herói desenvolve um poderoso senso de justiça que retrata sua força frente aos desafios que a turma enfrenta.

E por isso temos a representação do seu potencial em Angemon.

Takeru e o Angemon 

Originalmente sendo criado para ser uma espécie de suporte para a equipe. Angemon, tem sua importância no mundo digital ampliada conforme o mesmo mundo foi se expandindo, dentro e fora das telinhas.

Vindo do grego: Ângelus (da raiz de mensageiro) mais o sufixo Mon, que pode ser entendido como “monstro de batalha”. Angemon age como o nome se refere.

Angemon

©ToeiAnimation

Levando a mensagem de boas novas para seus companheiros, primeiramente, na batalha contra Devimon, onde nada mais poderia ser feito, a não ser que um milagre acontecesse.

E o mesmo acontece nas passagens seguintes, surgindo como último recurso de esperança da turma quando um inimigo se mostra poderoso demais. Enquanto suas evoluções só mostram como ele age sempre como bastião de esperança.

Holy Angemon, que é um conceito de “ungido”. Refere-se a uma hierarquia separada de anjos, na tradição judaica, como mensageiros dotados de responsabilidade extra que ia além dos seus iguais em cargo.

Anjo da Esperança

Enquanto Seraphimon, remete-se ao Serafim, que para muitos é conhecido como uma hierarquia de seres mais próximos a Deus.

Quando na verdade a palavra em hebraico significa “aqueles que ardem em fogo”, pois na leitura da Kabalah o criador é remetido como fogo consumidor. Aludindo a ideia de representação de aspecto.

esperança

©ToeiAnimation

Isso só mostra o quanto o mundo digital assimila as informações que os humanos integram ao sistema, ou, que a humanidade no final acabou se espelhando nas lendas digitais.

Isso se formos levar em consideração a representação de digimons como seres de outro mundo, ao pé da letra.

O real significado da aparição do Angemon na série, em minha opinião, pode ser interpretado como: “A revelação interior de uma pessoa que viveu intensas batalhas pessoais. E agora se permite ao dever de trazer boas novas aos outros.”

Por outro lado Takeru, que teve que lidar com separação dos Pais, possui com seu irmão brasões altruístas e destinado ao bem estar de terceiros.

Conclusão

Por outro lado, essa é apenas a minha interpretação. Enxergando Angemon e Takeru como agentes da esperança terceirizados por uma força maior.

esperança

©ToeiAnimation

Unindo a pureza do pequeno em crescimento em contrapartida com o tamanho da responsabilidade que ele possui frente aos amigos mais velhos.

Pois dentro do pequeno Takeru, ainda que exista o sentimento de uma criança, sua maturidade se reflete no caminho que leva a luz, como seu brasão visualmente representa.

Mas essa amigos é a minha opinião.

E aí, você concorda, discorda, prefere não opinar? Deixa aí nos comentários. Eu vou ficando por aqui. E nos vemos por aí!

Paladino

Sou leitor assíduo de conteúdo Otaku e material nerd em geral. Muito fã de Tokusatsu, em especial a franquia Ultra, do qual sou realmente maluco. Corredor por esporte, trabalhador por necessidade e redator de passatempo.
Follow Me:

Posts Relacionados