The Many Faces of Ito – 5 histórias em 1 na Netflix

Olá, pessoal! Eu sou a Bogo e neste post irei falar sobre The Many Faces of Ito. A série está disponível na Netflix e é uma ótima sugestão para maratonar ou ver aos pouquinhos. 

Traduzida como As Diversas Faces de Ito para o português brasileiro, essa é uma obra televisiva japonesa inspirada no livro Ito-kun A to E (伊藤くん). Conforme a trama avança, a série traz a visão de 5 mulheres sobre suas vidas amorosas e a relação em comum com um rapaz chamado Ito. Você pode acessar ao título clicando aqui.

© The Many Faces of Ito

Vale lembrar que a obra original, o livro lançado em 2013, chegou a concorrer ao Prêmio Naoki (Uma premiação japonesa de literatura que costuma ocorrer duas vezes ao ano). Certamente, isso pode ter sido  fator importante para a adaptação em 2017 no dorama descrito como uma comédia romântica e logo depois de sua versão para filme.

Com tantos diferentes cenários e sentimentos apresentados por cada mulher (de A até E), a série garante uma bela dose de drama para nós. São 8 episódios, em que o elemento Ito permanece mas o foco muda. Mas que Ito é esse?

Sinopse

De onde vem a inspiração para um grande projeto? Tendo que criar sua nova obra, a roteirista Rio aproveita para ouvir histórias de 4 mulheres em troca de oferecer seus conselhos amorosos. As histórias são divididas em: A mulher capacho, A desmotivada, A pretensiosa e A virgem importuna.

© The Many Faces of Ito

Os perfis

Como descrito na sinopse acima, as histórias das mulheres já aparecem nomeadas. De forma que parece nos induzir a já identificar a personagem pelo próprio título. Além disso, a história da nossa personagem principal, a roteirista Rio, continua de plano de fundo para cada uma dessas narrações ao passo que ela visita os fatos descritos pelas participantes.

Obs: São 2 episódios para cada história. 

E é aí que entra o tal de Ito, esse cara envolvido em cada uma dessas histórias. Ressalta-se que apesar de Ito ser um nome comum no Japão, ter uma em cada conto é muita coincidência. Pois bem: o Ito-kun é simplesmente ele, mas cada personagem feminina foi enquadrada em um estereótipo.

Todos os elementos que vemos antes de começarmos a entender a trama indicam que ele teria uma grande papel nessa série, não parece? Essa é a grande sacada, pois Ito é transformado em mais um elemento a medida que você mergulha nas histórias das moças.

Quanto mais vemos essas histórias, mais entendemos que existem coisas mais importantes e interessantes para nos atentarmos sobre cada mulher descrita ali com seus anseios e medos.

© The Many Faces of Ito

Entendendo os estereótipos:

Dito isso, a trama nos leva a tentar decifrar mulheres que são vistas como “entediantes” do dia a dia. São essas mulheres que não parecem serem protagonistas de doramas. Não são heroínas nem vilãs, só mulheres comuns com seus problemas usuais. E nem por isso a história delas perde em termos de nos chamar a atenção.

As Diversas Faces de Ito brinca com quem está assistindo toda hora. Tanto em relação ao conteúdo quanto à maneira que podemos enxergar as cenas. Se reparar, a série faz com que nós alternemos entre as histórias de cada personagem e a lembrança sobre a existência do tal do Ito.

É engraçado que o nome da série seja sobre o Ito, como se ele quisesse roubar o protagonismo, mas o que se vê são as mulheres. Dessa forma, podemos enxergar quem realmente são as personagens e acaba sendo até uma crítica a nossa forma de contar histórias. É uma série simples, sobre como pessoas decidem sobre suas vidas e como cada decisão afeta.

© The Many Faces of Ito

A vida retratada na série

Esse dorama tem aquela pitadinha de reality show, de documentário ou daquelas produções em que você se sente observando a vida de outra pessoa. Acredito que isso se dê pelos enquadramentos, efeitos, movimentos de câmera e outros recursos técnicos. Inclusive, alguns aspectos dessa produção chegam até a lembrar um pouco filmes indie pela forma como gravaram.

Apesar de não ser aprovado por todos, esse estilo de gravação é bem interessante. Gostei especialmente da forma como fizeram o quadro de “A Virgem Importuna”, com três câmeras simultâneas.

© The Many Faces of Ito

Outro fator que nos aproxima dessa série são os cenários. Juntamente com todas as emoções que as personagens nos passam, nós vamos parar em seus mundinhos. E cada mundinho, além de ser intrigante,  pode ser reconhecível. Por mais que estejamos em realidades diferentes, é possível ter essa noção do dia-a-dia por conta disso.

© The Many Faces of Ito

Por trás da tela, temos a escritora

Claro que não podíamos deixar de mencionar a escritora, Asako Yuzuki, que deu origem ao livro Ito-kun A to E. Asako também teve outras obras adaptadas para a TV. Antes de As Diversas Faces de Ito, outra criação da autora que conectava várias pequenas histórias foi ao ar. O livro que inspirou um dorama da NHK em 2015, Akka’s Lunches (ランチのアッコちゃん, Ranchi no Akko-chan), contava sobre o relacionamento de uma funcionária e sua chefe. Diferentemente do drama de Ito, em que vemos várias personagens e o foco se divide a cada dupla de episódios, a descrição conta que o núcleo permanece em duas personagens.

© The Many Faces of Ito

Várias narrativas em uma produção só

Dramas que trazem histórias picadinhas como esse não seguem uma linearidade como é o costume para as comédias românticas num geral. Acaba que a dita protagonista vira mais uma espectadora como nós, só que com um pouco mais de poder de narrativa.

Nesse caso, chegamos a conclusão de que cada história tem seu foco porque não podemos tirar a importância de quem as conta. O que torna a trama cheia de protagonistas e mais instigante. Já citei um dorama que seguiu uma lógica parecida, o Mysterious Summer (5 doramas para maratonar no dia das bruxas). Com várias histórias, fica como se estivéssemos assistindo uma série de casos parecidos, não é? No caso de As Diversas Faces de Ito aconselho a assistir na ordem mesmo, por conta da narrativa da Rio por trás.

Enfim, esta é uma série rápida, que entretém e por incrível que pareça, tem sua parte libertadora em encontro com a angustiante. Graças aos episódios curtinhos, temos aquela vontade de ver mais. Quanto aos temas, a mudança de história dá um refresco na trama, pois sempre haverá algo novo. E a fluidez com que cada tema se interliga fecha a série.

E aí, topa assistir a esses casos?

Follow Me:

Posts Relacionados