Você conhece Utopian de Waldenis Lopes?

Oi eu sou o Bruno, e dessa vez o papo é sobre mangá brasileiro!

Você conhece Utopian de Waldenis Lopes? Sabia que essa obra existe há pelo menos 10 anos, e finalmente ganhou sua versão física?

Bora conhecer esse quadrinho do Estúdio Armon.

O Estúdio Armon já ganhou uma matéria aqui no site anteriormente. E conforme já explanado, se trata de um coletivo de artistas que se propõe a criar e publicar quadrinhos nacionais, onde usam bastante da estilística dos mangás. Com obras como Oxente, Fada Mortífera, HarmoniHQ e muito mais. O grupo ganhou a indicação ao troféu HQ Mix. E ainda mais o recente sucesso em suas campanhas no catarse.

Para conhecer mais sobre o estúdio, suas obras, quem está por trás das artes e do trabalho, não deixe de conferir a matéria especial aqui no blog, e ainda o podcast com Fabio Gesse, fundador e editor do coletivo.

Utopian?

Sinopse

Há sete anos, a cidade de Lot foi atacada por um grupo de mercenários que tinha como objetivo dizimar os Virtutis, a família primária dentre os tocados pelo Ar. O tempo passou e, convicto de que seu irmão fugira do massacre com vida, Vaion parte em uma jornada para encontrá-lo, mas para isso, terá que aprender a lidar com o seu passado e com um poder desconhecido que habita o seu interior.

De acordo com a sinopse, já fica claro o teor fantástico e também as referencias contidas nesse quadrinho. Os personagens criados por Waldenis tem bastante personalidade, e não desapontam em suas histórias. De fato, é muito divertido como sempre existe uma nova camada nos personagens.

Utopian não nega suas referencias, e de certo modo é possível reconhecer elementos que seriam clichês, mas ainda geram curiosidade. O humor também é uma característica bem empregada pelo autor,  pois permite que o mundo tão cruel, apresentado, ganhe tonalidades diferentes.

Enquanto isso na produção.

Conforme já mencionado, é muito interessante saber que esse quadrinho possui um passado tão interessante. Logo nas primeiras páginas, temos um breve contexto escrito por Dyemeson Douglas. O mesmo é creditado como consultor na história, e atua como parceiro de Waldenis no desenvolvimento das ideias e arcos. Em seu depoimento ele afirma como os conceitos evoluíram desde 2009, quando o antes intitulado Elementos da Natureza, se tornou Utopian.

Decerto é evidente que uma trama pensada por tanto tempo sofra alterações e cresça, tanto em conceitos, quanto em motivações e abordagens. Ademais os próprios criadores mudaram muito, e o mesmo se deu com Fabio o editor da publicação. Este por sua vez, ressalta em seu depoimento como é trabalhoso e desafiador fazer um lançamento como esse. Além, claro, de todo o trabalho envolvido da produção e administração das outras publicações.

E sobre o autor

Waldenis, se mostra um autor bastante prolifico, o mesmo anunciou a produção de uma nova obra chamada: Era uma vez na lua azul.  Além disso, periodicamente ocorre a publicação das tirinhas de Paulo Rangers, uma paródia de humor no estilo tradicional. Outras obras estão presentes ainda em coletâneas tanto pelo estúdio Armon, quanto por outras editoras nacionais.

Em entrevista com o autor, tive a oportunidade questionar sobre todo o processo de criação, que é evidentemente árduo. Em Utopian, o esforço empregado é muito grande, uma vez que Waldenis é responsável por desenho e roteiros, e parte do processo é todo feito a mão. Um ponto relevante a ressaltar é o planejamento da obra, que segundo seu criador, terá um total de 36 capítulos.

Por fim…

É muito cativante conhecer Utopian, e todo o processo envolto em sua concepção. A campanha no catarse, para o lançamento físico da obra, foi um sucesso completo. Resultando no primeiro volume, com suas 224 paginas. O compilado apresenta os seis primeiros capítulos e traz ainda uma história extra chamada: Meu Tolo Bar – Uma história de Utopian

Além da alegria de ter uma obra nacional de qualidade surgindo, é muito significante poder conhecer mais e apoiar a produção nacional. Para conferir a entrevista completa com Waldenis, escute o episódio 57 do podcast Conversa É Essa?. Além disso, acompanhe as redes do autor e do estúdio.

Viva o quadrinho nacional.

ps: Você pode ler o quadrinho online no site do coletivo: Estúdio Armon.

See you later elevator.

Posts Relacionados